O que não falta por aí é gente se relacionando, mas se eu perguntar qual é o tipo de relacionamento que essa pessoa está vivendo, fogem até as palavras.

Isso acontece com muita gente, e, é por isso que resolvi abordar esse tema tão interessante com você hoje: relacionamento, você sabe identificar em qual tipo o seu se encaixa?

Independente do tipo, por mais liberal que ele possa ser, deve ser baseado sempre no respeito e confiança, porque se engana quem acha que ter um relacionamento é coisa fácil, não é impossível, mas tem que ter entrega e dedicação de ambos os lados. Concorda?

E, a gente sabe muito bem que os seres humaninhos não foram feitos para ficarem sozinhos.

Se relacionar é uma necessidade física e emocional, mas acordos devem ser feitos para que ninguém saia machucado dessas relações, muito pelo contrário, o que a gente quer é se relacionar para ser FELIZ!

Relacionamento: casal juntos

Acho que já deu para você perceber que o tema de hoje é babado, então, confira os tópicos que vamos abordar hoje:

  • Conceito de relacionamento 
  • Relacionamento afetivo
  • Relacionamento profissional
  • Poliamor, relacionamentos não monogâmicos e abertos
  • Relacionamento em crise
  • Um relacionamento enrolado
  • Aquele relacionamento chiclete
  • Apimente sua relação com a ginástica íntima

Conceito de relacionamento 

Você já notou que existem inúmeros tipos de relacionamentos, vou até te apresentar alguns no decorrer desse artigo, mas o termo em si tem bastante significado.

Relacionamento é uma ligação afetiva, profissional ou de amizade entre pessoas que acabam se unindo com os mesmos interesses, objetivos e afinidades.

E que consequentemente acaba envolvendo convivência, atitudes e comunicação, mas porque as pessoas se relacionam? Essa é a pergunta que muitas pessoas se fazem.

Eu não sei se você é casada, se está namorando ou ficando com alguém, mas se já se pegou pensando no que te uniu ao seu parceiro é porque a coisa não anda muito bem.

Eu posso te afirmar que se relacionar é bom demais, mas como tudo na vida, também tem os seus desafios.

O lado bom e o lado ruim, porque todo relacionamento passa por suas fases complicadas e isso é totalmente normal. Saber lidar com as situações ruins é que vão te dizer se a relação vai durar.

Por isso, é importante você saber identificar o tipo de relacionamento que você está vivendo para saber agir da melhor forma dentro dele. Falo mais sobre isso neste vídeo: 

Relacionamento afetivo

Esse tipo de relação é muito comum, ela nasce e se mantém não por uma obrigação, mas porque realmente existe afeto, cumplicidade e afinidade emocional e intelectual entre os envolvidos e não precisa necessariamente ser um relacionamento amoroso de casalzinho. 

Ele é composto por relações que são baseadas nos sentimentos entre qualquer pessoa que você tem contato, como acontece nos relacionamentos familiares, amizades e entre casais, inclusive muitos relacionamentos se iniciam a partir desse sentimento.

O afeto começa a ser tão grande a reciprocidade também e quando você se dá conta, já está caidinha de amor.

Relacionamento profissional

Sabe aquelas pessoas que convivem a maior parte do tempo no trabalho? Então, elas acabam criando um tipo de relação: relacionamento profissional no trabalho.

E, não tem coisa melhor do que se relacionar bem com os colegas de trabalho e superiores, com respeito e empatia acaba que o ambiente se torna mais produtivo, saudável  e prazeroso de se trabalhar. 

Tem mais, muita gente acaba encontrando o príncipe encantado no próprio trabalho, naquela conversinha marota, naquela troca de informações e ideias vai criando um laço afetivo que pode evoluir,  e esse sentimento passa para outro tipo de relacionamento, não é mesmo?  

Só não pode ultrapassar os limites no local de trabalho, se esse for este o seu caso amiga, porque isso pode dar em uma justa causa e esse  fetiche pode acabar saindo caro demais.

Poliamor, relacionamentos não monogâmicos e abertos

As novas formas de amar tem moldado novos modelos de relacionamentos, novos formatos familiares que impactam em nosso modo de ver o mundo e viver em sociedade, e nos levam rumo a relações mais inclusivas.  

Tenho até que fazer menção à canção do Lulu Santos, devemos considerar justa toda forma de amor. A gente concordando ou não, está tudo bem.  Quem vive esse tipo de relacionamento é quem tem que estar realizado.

Assista o vídeo onde eu falo mais sobre esses tipos de relacionamentos:

Relacionamento em crise 

Quem nunca saiu com casais de amigos que do nada começam a discutir o BO na sua frente?  É uma daquelas situações embaraçosas que só quem pode opinar e discutir é quem está dentro dela. 

Mulher de Deus, é uma lavagem de roupa suja sem fim, o relacionamento está tão em crise que nem as aparências eles conseguem manter.

Se você está nessa situação ou conhece alguém nela, eu recomendo que você envie esse post para ela se identificar, e no vídeo a seguir eu dou algumas ferramentas para mudar esse status de relacionamento. Porque ninguém merece se relacionar para ser infeliz. 

[OH DEAR: responsive_youtube has some malformed syntax.]

Um relacionamento enrolado

Quem nunca teve um relacionamento enrolado que atire a primeira pedra, esse tipo de relacionamento é aquele que você não sabe se é amor, se é paixão, só sabe que é MUITO BOM!

Os problemas somem quando estão juntos, podem até explodir o mundo lá fora, mas tudo estará bem entre vocês, desde que estejam enroladinhos juntos.

Esse tipo de relacionamento pode durar meses ou anos, se for o que as duas partes quiserem, sem compromisso, sem satisfações, sem status de casal, esse é o típico relacionamento enrolado. 

Aquele relacionamento chiclete

Já presenciou algum casal cheio de apelidinhos carinhosos em algum lugar? Cheio de cute-cute, mozão pra cá, amorzinho pra lá, com muitas juras de amor eterno, um verdadeiro grude, que nem chiclete?!

Para quem não está por perto o tempo todo desse tipo de gente, pode até parecer fofo, mas infelizmente, esse tipo de relacionamento tem prazo de validade.

Um relacionamento saudável deve conter individualidade, o boy tem que ir jogar bola, a mulher tem que ir fazer a unha, independente dos hobbies de cada um. 

É necessário um tempo de qualidade individual para que o relacionamento dê certo. O amor precisa de espaço e liberdade para conseguir respirar, caso contrário, ele morre sufocado.

Se você se identifica com esse tipo de relacionamento, mantenha a calma, respire, busque controlar melhor as suas emoções, se for preciso busque a ajuda profissional de um psicólogo para entender melhor as causas que te fazem querer ficar o tempo todo grudada no parceiro. 

Dica: comece dando um tempo maior longe um do outro, focando em suas prioridades, trabalho, estudos, saúde, sempre tem uma pendência, vida da mulher não para! 

Comece a pensar um pouco mais em você, inicie uma atividade que você gosta, por exemplo. Assim, você vai conseguir tirar o crush da cabeça por um tempo, fazendo com que ele perceba a sua ausência e vocês sintam a falta um do outro. 

Apimente sua relação com a ginástica íntima

O melhor eu sempre deixo para o final, agora que você já sabe quase tudo sobre relacionamento, a minha dica para apimentar essa relação é a prática do pompoarismo feminino

Os benefícios para a saúde da mulher são imensuráveis e se seu relacionamento é enrolado, aberto, grudinho, se ele está em crise então, vai ser o momento da trégua. 

Quando você começar a pôr em prática os exercícios e o seu parceiro perceber os movimentos diferentes acontecendo, ele vai ficar louco e você também vai sentir muito mais prazer!

Qual é o seu tipo de relacionamento? Se eu não tiver mencionado o seu me conta aqui nos comentários de qualquer forma, qual é o seu tipo de relacionamento atualmente.

Um super beijo!

Texto de Cátia Damasceno

Cátia Damasceno é Fisioterapeuta especializada em uroginecologia, coach, palestrante e idealizadora do Programa Mulheres Bem Resolvidas.