Casamento em crise: como lidar com problemas no relacionamento

Se você gostou desse Blog clique no +1:

Casamento em crise: como lidar com problemas no relacionamento

Sabe aquela velha história de que hoje em dia os casamentos estão descartáveis e que não são mais como os de antigamente? É claro que comparar a realidade do passado com a dos tempos atuais é difícil, pois os costumes, as relações e cobranças sociais eram outras. Mas se há uma verdade nesse ditado popular, e que eu realmente percebo no meu ciclo de amizades e nas histórias que as pessoas compartilham comigo, é que, hoje, diferentemente das uniões de outras gerações, ao menor sinal de problemas, as partes desistem do casamento, e quase não há esforço para tentar recuperar alguns pontos para que a relação sobreviva aos tempos difíceis e para que o casal supere o casamento em crise.

Hoje, a gente vai conversar sobre esses momentos difíceis no casamento em crise que requerem atenção de ambas as partes para que a relação saia ainda mais fortalecida, e você vai entender que:

  • Para identificar a raiz do problema, é preciso não ter medo de tocar na ferida;
  • É preciso verbalizar;
  • Terapia de casal pode ser uma solução para o casamento em crise;
  • Sinceridade é a chave para a felicidade.

Portanto, se você está passando por um casamento em crise, vamos por partes.

casamento em crise
Antes de tudo, um aviso: não se iluda, os problemas virão. São certos como a chuva depois dos trovões. Agora, quem define se a tempestade vai causar estrago, ou, então, vai ajudar a semear novas mudas no solo que está seco, é você.

Como cuidar do casamento em crise?

Mergulhe a fundo no problema

A primeira pergunta que eu faço para quem me diz que está com o casamento em crise é se a pessoa está preparada para mergulhar nas profundezas desse mar de incertezas, reviver mágoas, sentimentos adormecidos e trazer à tona tudo que está colocando em jogo a continuidade da relação.

E se você tem medo de tomar essa atitude, não se sinta menos forte por conta disso. Ninguém disse que é fácil, e é preciso, sim, muita coragem para ir em frente. Isso porque um casamento em crise não se resolve da noite pro dia, e nem existe uma fórmula mágica para isso. Durante essa fase, vão ser precisos muitos mergulhos e subidas à superfície para respirar e retomar o fôlego.

Nesse processo contínuo de ir ao fundo e voltar, é bom estar preparada para enfrentar, de frente, todas as questões que vão emergir. Mas é esse o segredo para que você encontre, de fato, os motivos pelos quais não está feliz na sua relação. Muitas vezes, eles se disfarçam – e nós acabamos por ignorá-los – entre a maratona do dia a dia e a rotina.

Mas, como eu sempre gosto de lembrar, uma vez que afogamos tudo aquilo que sentimos dentro de nós e negligenciamos os sinais de alerta de tempestades, acabamos navegando em mar aberto e ficamos vulneráveis à tormenta. E é justamente sobre isso que vamos falar a partir de agora.

crise no casamento

1 – Navegar é preciso, mas verbalizar é mais ainda

De nada adianta você enfrentar as maiores ressacas de um casamento em crise se elas não forem compartilhadas com o seu companheiro. Por isso que eu costumo dizer que, tão importante quanto mergulhar a fundo nos problemas que levaram à crise é verbalizá-los. E a gente tem um medo da exposição, isso é normal. Porque esse tipo de conversa não é leve, gostosa e nem arranca gargalhadas como em outros tempos em que vocês perdiam a noção da hora quando sentavam para bater-papo. Na maior parte das vezes, elas são exatamente o oposto disso, mas precisam se tornar reais para resgatar o sentimento que une o casal.

Portanto, para que a conversa não tome um rumo diferente do desejado, o que é muito comum quando há mágoas e ressentimentos entre o casal, prepare-se para este momento. E uma das formas de se fortalecer é fazendo uma lista com todos os pontos que você identifica como problemáticos, os seus sentimentos e expectativas em relação a eles e as propostas de mudança. Esses são itens que devem estar presentes nessa lista, que vai servir como um roteiro para que você exponha tudo aquilo que é preciso. Acredite: só de passar para o papel as palavras que, até então, estavam aprisionadas dentro de você, já vai lhe proporcionar uma leveza e a segurança necessária para encarar essa conversa com o seu parceiro.

O ideal é que o seu marido também esteja disposto a fazer a mesma lista. Dessa forma, no decorrer da conversa, os dois vão ter a chance de verbalizar aquilo que acreditam ser necessário para discutir o casamento em crise.  Esteja preparada: ele pode levantar pontos pelos quais você não espera ou não tenha se dado conta que existem. Por isso, estar disposta a absorver essas questões é o ponto crucial para que a iniciativa tenha sucesso e não se resuma apenas a mais um momento de trocas de mágoas e ressentimento.

crise no relacionamento

Portanto, quanto chegar o momento, abaixe a guarda, se desnude de qualquer tipo de armadura e esteja aberta para conversar sobre o casamento em crise.

2 – Que tal tentar a terapia de casal?

Essa é outra opção para quem quer tentar resgatar um casamento em crise, e pode ser uma escolha depois de todas as outras não terem surtido efeito. Não que ela seja a última cartada da relação, muito pelo contrário. Eu conheço casais que são adeptos da terapia mesmo quando não existem problemas aparentes, e é exatamente para evitar que apareçam que eles se permitem sentar e conversar sobre a relação, não no sofá de casa, mas no consultório, com a mediação de um terapeuta uma ou duas vezes ao mês.

Esse é um passo que exige mais desprendimento de ambas as partes, já que, se é difícil propor o diálogo a dois, com uma terceira pessoa essa missão pode ser ainda mais intimidadora. Mas não desanime por isso: uma vez vencidos os preconceitos e receios que postergam a visita ao consultório, os efeitos da terapia de casal podem ser transformadores e ajudar a resgatar tudo aquilo que, um dia, uniu você e seu marido.

Afinal de contas, um casamento em crise não é sinônimo de término, certo? Se assim fosse, não teria o porquê de ainda denominar a relação com o rótulo do matrimônio.

terapia de casal

3 – A sinceridade é um dever e direito de ambos

Enquanto houver esforços de ambas as partes, um casamento em crise pode, sim, ser resgatado. Mas para que isso aconteça, independentemente dos métodos que vocês escolherem, é preciso ter uma única regra básica, e essencial para que os resultados sejam verdadeiros e permanentes: a sinceridade.

Ela deve estar presente em todas as etapas do processo. Em um primeiro momento, é preciso que você seja sincera consigo ao identificar todos os fatores que estão precisando de ajustes para que a relação siga em frente, e, também, para reconhecer, em si, alguns pontos que precisam ser mudados para esse mesmo objetivo.

Depois, quando chegar o momento de expor os sentimentos, as frustrações e os desejos de mudança, ela também deve estar lá, e reger todo o roteiro da conversa.

Sem sinceridade, todos os indicativos de avanços que podem surgir durante o processo de resgate de um casamento em crise acabam sendo frágeis demais, e tendem a se romper novamente.

Portanto, pode acreditar quando eu digo que mergulhos ao fundo para trazer à tona os problemas, boas conversas, que podem acontecer em casa ou na terapia de casal e uma pitada de sinceridade não faz mal a relacionamento algum: a não ser que ele já esteja em um ponto em que ambas as partes não enxerguem mais nenhuma razão para que seja válida a tentativa de resgate.

casal conversando
E, então, está se sentindo mais confiante para tomar as rédeas da situação e enfrentar os desafios que o seu casamento em crise está apresentando? Se você quiser se sentir mais fortalecida e trocar experiências com outras mulheres que possam estar passando por situações semelhantes as suas, que tal participar do maior evento online destinado ao público feminino?

Durante a Semana da Mulher Bem Resolvida, eu abordo temas como os desafios do amor, relacionamentos, casamento, filhos, estabilidade financeira e tudo aquilo que faz parte da vida nossa vida moderna. O evento é gratuito e acontece do dia 03 a 10 de outubro: inscreva-se.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com suas amigas:

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Nenhuma avaliação)