Homem, quando faz sexo, só pensa em sexo. E mulher, quando faz sexo, tem a mania irritante de pensar até na festa de aniversário da filha da vizinha. Dessa forma, o relacionamento sexual fica complicado, não é mesmo?

Tirando isso, há várias outras razões para nós termos essas diferenças em relação à sexualidade, e algumas delas têm até fundo histórico e evolutivo.

Por exemplo: como lá na época das cavernas o homem era quem saía para caçar por ser o provedor, a função da mulher era manter a família junta, cuidando das criancinhas na caverna para que nada acontecesse com elas e a espécie pudesse ir se perpetuando.

Por conta disso, a mulher estava sempre muito atenta às ameaças que sua tribo poderia sofrer, já que dependia dela manter os filhos vivos.

E se hoje ainda é difícil, imagina naquela época! Esse cuidado constante fez com que a mulher se tornasse um ser bem mais cauteloso, que não tinha o instinto de se arriscar. E isso, obviamente, acabou por refletir no comportamento sexual.

Veja bem, é uma questão evolutiva!

Homens se colocavam em risco – e ainda se colocam – o tempo todo, dependendo da atividade que desempenham. Já as mulheres tendem a escolher funções nas quais elas consigam manter sua segurança e integridade física.

É uma regra absoluta do universo? Não. Como tudo, há exceções. Mas não podemos negar que ainda guardamos muito dos instintos primitivos e costumes sociais que garantiram a nossa sobrevivência até o atual momento.

Isso explica o porquê do homem ser mais aventureiro sexualmente, se engajar mais facilmente em relações sexuais, arriscar mais quando o assunto é sexo.

A mulher é reprimida sexualmente

A mulher tem as suas reservas e desconfianças e, na maioria dos casos, precisa de vários indícios de que é o certo a se fazer antes de iniciar um relacionamento sexual com alguém.

Outra questão que também evidencia a diferença entre os dois: a mulher sempre foi muito reprimida socialmente quanto à sua sexualidade, assim como comentei no vídeo anterior, enquanto homens eram e são constantemente incentivados a explorar a sexualidade deles. E é claro que isso gera várias diferenças no comportamento sexual.

Ainda hoje, mesmo com todos os avanços que fizemos na área de igualdade de gênero, em muitas culturas a mulher continua sofrendo repressões sociais que interferem diretamente na sua relação com o sexo.

Além disso, enquanto a maioria dos homens procura excitação, as mulheres querem intimidade.

Homens pensam mais sobre sexo, mulheres pensam mais sobre carinho, afeto e segurança emocional.

Homens são mais visuais e se excitam só em olhar para o objeto de seu desejo. Mulheres precisam de uma combinação de fatores: estímulo visual, auditivo, sensorial, da imaginação…

Homens querem ir direto para a penetração. Mulheres aproveitam mais as boas preliminares.

Pelos homens, eles poderiam fazer sexo 20 vezes ao dia. Para a mulher, se ela fizer apenas uma vez e for de alta qualidade, já valeu a pena. Claro, se ela fizer 20 vezes mantendo um padrão alto, melhor ainda.

O tamanho do pênis importa para o homem. A performance do homem importa para a mulher.

Eu poderia continuar aqui, porque a lista é interminável. Mas você já entendeu meu ponto.

Homens e mulheres têm diferenças fisiológicas, sociais, psicológicas e comportamentais na hora de pensar e fazer sexo, e elas precisam ser entendidas, respeitadas e usadas ao nosso favor no relacionamento sexual.

Diálogo e compreensão são fundamentais

Se você demora mais para chegar ao orgasmo, peça para ele caprichar no sexo oral.

Se ele fica mais excitado com estímulos visuais, faça sexo oral nele em uma posição que ele consegue ver o seu bumbum ou, então, dê olhadas maliciosas para ele de vez em quando.

Tudo é possível de ser combinado quando há diálogo e compreensão entre os parceiros. Sexo não é tudo, mas representa uma parcela mais do que significativa no relacionamento do casal, e deve ser feito e aproveitado de uma maneira que agrade os dois.

Converse com seu parceiro.

Sim, vocês são diferentes e isso é uma realidade. Vocês sentem prazer de forma diferente, vocês são estimulados por coisas diferentes, vocês querem coisas diferentes na cama. Se não houver diálogo, como vão resolver essas diferenças e desfrutar de tudo o que o sexo pode oferecer?

Se você estiver solteira no momento, reflita sobre como você costumava se comunicar sobre sexo com os parceiros anteriores. Quais as maiores dificuldades que você encontrava para abordar o assunto e quais consequências esses obstáculos tiveram na sua vida sexual.

Anote tudo o que for relevante, pois esses pontos devem ser trabalhados no seu próximo relacionamento sexual para que o diálogo com o futuro parceiro seja mais fluido e sem todas as barreiras nesse quesito. 

Nós já conversamos sobre o paradoxo do desejo, que acontece quando estamos em um ponto da relação onde esperamos resgatar o clima apaixonado e excitante do início de namoro, mas não queremos fazer isso de maneira que abale a segurança e estabilidade do relacionamento.

Como você já sabe o que é o paradoxo, precisa entender muito bem como o desejo funciona.

O que é? Do que se alimenta? Onde se esconde?

O que é o desejo?

O desejo é um elemento essencial para que o sexo aconteça e o relacionamento sexual seja melhor. Sexo sem desejo é obrigação, e ninguém merece passar por isso.

O desejo, no geral, é a energia que temos para investir naquilo que nos traz prazer. 

Mas estamos falando aqui especificamente de desejo sexual. E para investir naquilo que nos traz prazer erótico, precisamos ter energia sexual, o que nem sempre é a coisa mais fácil do mundo.

Mas… o que é desejo sexual?

A ciência dá vários nomes para isso, e você também pode chamar como quiser: desejo sexual, libido, tesão, motivação sexual, apetite sexual… Não interessa, desde que você tenha!

O desejo no relacionamento sexual é um regulador das nossas necessidades físicas, sociais e individuais, que é influenciado por vários aspectos. Ele pode ser despertado por percepções internas, como pensamentos, lembranças, emoções e sentimentos; ou por estímulos externos, que ativam nossos cinco sentidos.

Mas esse desejo não cai do céu!

Para que ele surja, as condições favoráveis precisam estar presentes. Vai me dizer que você já conseguiu entrar no clima com alguém que te irritava, que não te atrai fisicamente, num lugar que não era confortável e com um compromisso marcado dali a três minutos?

Então… é disso que eu estou falando.

Precisamos de um “clima adequado” para o desejo acontecer, entendeu?

Mas é o seguinte, o desejo precisa existir para além do sexo.

Muitas pessoas, inclusive profissionais da saúde, tentam entender se e como existe desejo sexual independente da frequência sexual da pessoa.

E isso porque o número de vezes que alguém faz sexo não define a qualidade da relação, uma vez que ela depende muito das circunstâncias que eu mencionei antes.

Sexo sem desejo

Quantas pessoas você conhece que fazem sexo sem sentir desejo nenhum? E quantas você conhece que não estão com vida sexual ativa, mas morrem de desejo?

O desejo vai além do sexo e ele deve ser estimulado em pequenas coisas do dia a dia, principalmente se estamos falando de uma vida a dois.

Fatores como ansiedade, depressão e estresse são alguns dos maiores vilões do desejo no relacionamento sexual.

É por isso que, por mais que não seja fácil, você deve procurar sempre formas de mantê-lo ali, junto de você.

“Mas Cátia, como eu vou fazer isso? Não sei nem por onde começar!”

Já começou só de ter identificado o problema e procurado uma solução. Porque se tem algo que eu aprendi em todos esses anos de experiência trabalhando na área da sexualidade é que toda e qualquer mudança na nossa vida sexual começa na gente.

Então vamos a um ponto importante para que você ative o seu desejo sexual.

Você tem estimulado sua imaginação?

Hoje em dia, o acesso a qualquer coisa está na palma da nossa mão, apenas na distância de um clique. Sendo assim, existe uma série de opções para que você comece a trabalhar em estimular a sua imaginação eroticamente.

Você pode começar por um livro ou mesmos por contos eróticos. Eu recomendo que você não parta logo para estímulos visuais nesse momento, como a pornografia.

Tente aguçar sua imaginação por outros meios: lendo ou ouvindo músicas que te façam voltar a um momento excitante da sua vida são ótimas opções.

O legal disso é que você vai passar a pensar com mais frequência na sua vida sexual, e essas pequenas coisas podem te dar grandes ideias de como apimentar a sua relação na cama!