O amor é uma das experiências mais maravilhosas que podemos viver. No entanto, muitas vezes confundimos esse sentimento com dependência. Na verdade, a linha entre amor e dependência emocional é muito sutil, por isso é muito fácil ultrapassá-la e cair em um relacionamento doentio, onde uma pessoa anula sua personalidade para agradar o outro. Como detectar se você está passando por isso? O que diferencia um relacionamento amoroso maduro de um relacionamento tóxico? Hoje eu vou falar sobre a diferença entre esses dois sentimentos para você descobrir qual o tipo de relacionamento que você está vivendo.

dependencia-emocional-catia-damasceno

Pode ser difícil perceber às vezes, mas há uma diferença entre estar apaixonado e estar emocionalmente dependente de alguém. Muitas pessoas se referem ao parceiro como a outra metade. Isso soa romântico, mas em um relacionamento é necessário ter independência. Antes que você possa estar em um relacionamento sério e duradouro, você precisa estar confiante com quem você é e o que você quer da vida. Um relacionamento baseado na codependência em vez de amor não durará. Se quisermos ser parte de um relacionamento saudável, precisamos aprender a distinguir entre dependência emocional e amor.

No texto de hoje vamos abordar os seguintes tópicos

  • A Dependência Emocional
  • A dependência emocional e os relacionamentos
  • Causas
  • Diferenças entre dependência emocional e amor
  • Por que relacionamentos dependentes são tão prejudiciais?
  • 6 dicas para se tornar menos dependente
  • Amor x Carência

A Dependência Emocional

Para quem nunca ouviu falar nisso, nós podemos começar compreendendo o que é a palavra dependência. Quando dizemos que uma pessoa é um dependente químico, nós estamos dizendo que a pessoa precisa de uma substância (como álcool, cocaína, cigarro…) para se sentir bem e, ao mesmo tempo, a substância é fundamental para sua vida, ou seja, a pessoa depende dela. Por este motivo, falamos em uma pessoa dependente de substância.

Na dependência emocional, podemos encontrar semelhanças nestes dois fatores:

  • Para se sentir bem a pessoa precisa de outra pessoa, como o namorado ou marido;
  • A necessidade da presença é tanta que devemos dizer que a pessoa sente que precisa, que depende da outra para viver. E assim, pode fazer toda sorte de sacrifícios para manter o relacionamento, ainda que o mesmo possa estar indo de mal a pior.

A dependência emocional e os relacionamentos

Muitas vezes, nos relacionamentos, a dependência emocional entra em jogo e a relação, longe de ser uma forma de apoio, se transforma em um obstáculo para o desenvolvimento e até mesmo para a saúde mental dos dois parceiros.

Se você não está feliz em seu relacionamento, pode ser devido ao fato de que você é dependente emocionalmente do seu parceiro. Veja alguns dos sinais que podem indicar algum nível de dependência emocional de seu parceiro.

Tristeza

Em primeiro lugar, se o seu relacionamento lhe trouxer sofrimento (como tristeza ou ansiedade) e você ainda se sentir incapaz de mudar de caminho ou de abandoná-lo, é altamente provável que você tenha algum grau de dependência emocional. Relacionamentos são complicados e exigem esforço, mas não sofrimento.

Você não tem vida

Um dos sinais mais concretos da dependência emocional é que você não está fazendo nenhuma atividade fora do relacionamento. Seja um hobby, estudos, uma carreira, amigos… tudo o que você faz é com seu parceiro.

Incapacidade de ficar sozinha

Talvez você tenha se acostumado tanto a compartilhar tudo com o seu parceiro que não sabe mais o que fazer quando está sozinha, ou talvez também seja possível que a preocupação te confunda: teme que algo possa acontecer se não estiver com ele ou enlouquece tentando adivinhar o que ele está fazendo.

Não pode viver sem ele

Você tem pensamentos ou acredita que não poderia viver sem essa pessoa ou que a vida não teria nenhum significado sem ela, que ela é todo o seu mundo. Essas ideias são características de um relacionamento dependente.

Ciúmes

O ciúmes é muitas vezes outro bom indicador de dependência emocional, pois está relacionado à insegurança e falta de comunicação.

Idealização

Você inventou o perfeito “príncipe encantado? em sua cabeça? Se o papel que você criou do parceiro perfeito é simplesmente um papel, então você não está em um relacionamento com uma pessoa real. Você está em um relacionamento com uma versão fantasiosa dessa pessoa. Isso não é amor.

rel

Causas

Dependência emocional pode ter muitas causas. Em alguns casos, pode ser devido ao fato de que não aprendemos a tolerar o sofrimento inerente à vida e, portanto, não podemos abandonar parceiros que nos prejudicam porque temos medo de mudar ou ficar sozinhas. Em casos extremos, podemos ser incapazes de sair mesmo se estivermos sofrendo maus-tratos ou abuso.

Em outros casos, devido a questões de autoestima, acabamos ficando dependentes de nossos parceiros para nos fazer sentir bem, nos admirar ou nos dar a segurança que não temos.

Diferenças entre dependência emocional e amor

1. Amor é entrega, dependência é egoísmo

Quando você ama, você se concentra em fazer a outra pessoa feliz. Você está sempre pensando em seu parceiro e procurando novas maneiras de surpreendê-lo e satisfazê-lo. Você não se importa com quem traz mais para o relacionamento e não se zanga por detalhes fúteis, porque você está ciente da pessoa que você tem ao seu lado. Você não tenta manipular ou dominar o relacionamento porque se sente segura. Pelo contrário, você sempre pergunta a opinião dele porque quer se sentir ouvida e amada. O amor maduro dá sem esperar nada em troca.

A pessoa dependente emocional, ao contrário, concentra-se no modo como o parceiro a deixa feliz, estabelece um relacionamento egoísta porque se entrega, mas apenas para receber algo em troca. Essa pessoa também sente um enorme medo de perder o parceiro, de modo que muitas vezes assume uma atitude manipuladora, tenta controlar o relacionamento para continuar recebendo satisfação pessoal.

2. O amor é liberdade, a dependência é uma prisão

O amor maduro significa que cada pessoa deve ser capaz de crescer no relacionamento. Isso implica que todos estão livres para se expressar, que não têm medo de expor suas falhas e fraquezas. Essa confiança mútua é libertadora e permite que as duas pessoas expressem todo o seu potencial. Nesse tipo de relacionamento não há espaço para controle porque um encoraja o outro a considerar novos objetivos e o apoia para alcançá-los.

O amor maduro é um terreno fértil para o crescimento pessoal. A dependência emocional, ao contrário, muitas vezes se torna uma prisão. A pessoa dependente quer que seu parceiro passe mais e mais tempo ao seu lado, seja totalmente submetido ao relacionamento, esquecendo seus próprios sonhos e projetos. Assim, o relacionamento acaba esmagador, obtendo o pior dos dois.

3. O amor é duradouro, a dependência é passageira

O amor se mantém durante o tempo. De fato, diferentemente da paixão, o amor maduro se desenvolve e cresce ao longo dos anos. Como uma árvore, mergulha suas raízes mais fundo e cria novos ramos. Isso não significa que não haverá desentendimentos e discussões, mas cada um dos parceiros crescerá ao lado do outro, decidindo que cada dia permanecerão juntos, não porque precisam um do outro, mas porque se amam.

O amor se concentra na outra pessoa, em suas qualidades positivas que a tornam perfeita para você. Em vez disso, a dependência emocional é baseada em um sentimento de vazio que precisa ser preenchido por alguém. De fato, muitas pessoas dependentes emocionais passam rapidamente de um relacionamento para outro porque basicamente o que lhes interessa não é a própria pessoa, mas como elas podem preencher a privação emocional. Essas são pessoas que não podem viver sozinhas e não procuram uma alma gêmea, mas apenas alguém para preencher o vazio. Ou pode acontecer justamente o contrário: uma pessoa se prender a alguém que pode lhe fazer mal simplesmente porque não acredita que possa ficar sozinha.

dependencia-emocional-catia-damasceno

Por que relacionamentos dependentes são tão prejudiciais?

As relações que geram dependência emocional acabam tornando as pessoas infelizes. A pessoa dependente quer sempre mais, não está satisfeita e vive com ansiedade constante gerada pelo medo da perda. A outra parte parece cada vez mais sobrecarregada, incapaz de desenvolver seu potencial, presa em um relacionamento que não oferece nada. Como resultado, mais cedo ou mais tarde esses relacionamentos chegam ao fim.

Felizmente, se percebermos isso antes, podemos reverter isso e canalizar essa energia de maneira positiva, em direção a um amor maduro que permita que ambas as pessoas cresçam e se complementem.

Relacionamentos abusivos

Outro ponto preocupante em relação a dependência emocional é que ela leva  uma pessoa a se submeter à outra, não apenas quando a outra pessoa fornece afeição e segurança, mas até mesmo nos casos em que a rejeição e o desprezo são comuns. O argumento que eles usam é que, em qualquer caso, o mais importante é não perder a companhia do outro. Você já ouviu alguma pessoa dizer: “eu sei que ele não é bom para mim, mas eu ainda o amo. Eu não posso viver sem ele!”.

Quando uma mulher é dependente emocional, há grandes chances dela ser vítima de um relacionamento abusivo. Ou seja, esse sentimento é a base de um relacionamento tóxico. Muitos homens se aproveitam da fragilidade dessas mulheres para exercer seu lado controlador e abusivo, porque sabem que elas se sentem presas no relacionamento e vão aceitar tudo o que eles fizerem.

6 dicas para se tornar menos dependente:

1) Consciência da dependência emocional

A consciência da dependência emocional é o primeiro passo para começar a superar os sentimentos. Sem ter consciência do que está acontecendo, tudo vai continuar como está e o sofrimento irá continuar. No entanto, se uma mudança for buscada, ela pode ocorrer com a criação de mais autoestima, autovalorização e/ou com a ajuda de psicoterapia.

2) Perceba que você tem o controle de si mesma

Perceba que você tem o controle de si, incluindo seus sentimentos, emoções e ações. Algumas vezes acontecem eventos na vida que são incontroláveis, mas você precisa perceber o que você pode controlar. Não permita que outra pessoa controle sua vida e o caminho que você deve seguir.

3) Reconheça as suas necessidades emocionais

Reconheça as suas necessidades emocionais e não dependa de uma única pessoa. Ou seja, trabalhe para construir uma rede de relacionamentos (amizades, colegas, familiares) e também considere a importância de fazer terapia.

4) Não programe o seu dia a dia dependendo da outra pessoa

Perceba que você também possui necessidades que são importantes e você precisa ter controle da sua própria vida e fazer as suas coisas independente dos outros. Você pode se comprometer e reconhecer as necessidades do outro, mas você tem que se lembrar igualmente de que você tem que viver sua vida, para além do relacionamento.

5) Não espere nada

Damos nosso amor a alguém e esperamos, em retorno, que todas as nossas expectativas sejam atendidas. E quando essa pessoa não consegue nos dar tudo o que queremos, vamos ficar com raiva dela por não ser o ideal imaginado que tínhamos em mente. Nossas inseguranças surgirão para tentar transformar nosso relacionamento em um jogo de manipulação por causa do nosso medo de não sermos amadas. Devemos mudar nossa visão do amor como uma maneira de conseguir o que queremos e vê-lo como uma forma de satisfazer nosso coração.

6) Aprenda a amar a si mesma

Se vemos o nosso parceiro como alguém que preenche o vazio dentro de nossas almas e como uma distração de qualquer bagagem emocional não resolvida, estamos à beira de ser emocionalmente dependentes. Para amar verdadeiramente alguém, primeiro precisamos descobrir e entender o que é o amor com a pessoa com quem passamos o nosso dia inteiro: nós mesmas. Se focarmos essa energia em descobrir quais são nossos pontos fortes, além de colocá-los em bom uso, estaremos no caminho certo para melhorar nossos relacionamentos.

dependencia-emocional-catia-damasceno

Amor x Carência

O amor não é o mesmo que carência. Duas pessoas verdadeiramente apaixonadas podem confiar, respeitar e aceitar umas às outras. Essas coisas raramente estão presentes em um relacionamento onde há dependência emocional. O verdadeiro amor envolve conhecer e amar a si mesma e depois dar o mesmo a outra pessoa. É assim que dois seres humanos são capazes de construir uma vida feliz juntos. Se você tiver caído em um padrão de relacionamentos emocionalmente dependentes, pode querer passar algum tempo sozinha para se encontrar. Isso parece assustador. No entanto, se você puder fazer isso, vai descobrir que aprender a conhecer e amar a si mesma é a coisa mais poderosa que você escolhe fazer. Como diz Osho: “Se você é capaz de ser feliz quando está sozinho, você aprendeu o segredo de ser feliz”.

E você, já se inscreveu na Semana da Mulher Bem Resolvida? Milhares de mulheres que me seguem  sabem que eu criei a Semana da Mulher Bem Resolvida, uma semana que nós discutimos todos os assuntos do universo feminino (sensualidade, sexualidade, pompoarismo, relacionamento, autoestima…) para ter um contato direto e passar o melhor do meu conteúdo para vocês. É uma semana incrível, cheia de exercícios e que você vai poder falar comigo e tirar todas as suas dúvidas! Para participar, é só se inscrever no link abaixo. O evento é 100% online e gratuito. Não fique de fora!

Os 3 segredos dos relacionamentos duradouros e felizes. Baixe Agora!

Texto de Cátia Damasceno

Cátia Damasceno é Fisioterapeuta especializada em uroginecologia, coach, palestrante e idealizadora do Programa Mulheres Bem Resolvidas.