Vaporização Vaginal: veja os benefícios que a ciência aponta sobre a prática

Se você gostou desse Blog clique no +1:

Vaporização Vaginal: veja os benefícios que a ciência aponta sobre a prática

Você já ouviu falar de vaporização vaginal? Ela virou sensação nos Estados Unidos e Europa devido a relatos de celebridades que aderiram a prática. Artistas como Gwyneth Paltrow apontam uma variedade de benefícios, que vão desde aliviar o desconforto da menstruação até a melhora na fertilidade. No entanto, especialistas alertam que não há evidências científicas que provem que a vaporização vaginal funcione. Mas afinal, do que se trata essa prática? Como ela é feita? Veja tudo o que você precisa saber sobre vaporização vaginal.

vaporização vaginal

No texto de hoje vamos falar sobre:

  • Como funciona a vaporização vaginal?
  • Como surgiu?
  • Benefícios relacionados à vaporização vaginal
  • Realmente funciona?
  • Ervas usadas na vaporização vaginal
  • Médicos alertam
  • Efeito placebo
  • Quanto custa
  • Vale a pena?

Como funciona a vaporização vaginal?

A vaporização vaginal consiste em sentar sobre uma bacia de água quente que geralmente contém ervas adicionadas, isso permite que a região genital receba um “banho de vapor”.

As pessoas que praticam o vapor vaginal acreditam que as ervas podem penetrar nos tecidos vaginais e oferecer uma variedade de benefícios. O tratamento geralmente dura entre 20 e 45 minutos e pode ser feito em spas ou em casa.

Como surgiu?

A vaporização vaginal não é uma coisa nova. O tratamento é antigo e respeitado pelos curandeiros tradicionais em todo o mundo e promete remediar  quase todos os aspectos da patologia uterina. Também é conhecido como yoni steaming (yoni é a palavra sânscrita para útero ou vagina) e é usado para limpar e revitalizar o útero, reduzindo efetivamente o desconforto associado à menstruação.

Ela tem sido usada em círculos holísticos de saúde por décadas, principalmente na Coreia. A prática ganhou destaque após a atriz Gwyneth Paltrow revelar que é fã de vaporizar a vagina. Depois disso, a vaporização vaginal começou a ficar cada vez mais famosa e diversos especialistas começaram a brotar em todos os lados.

Benefícios relacionados à vaporização vaginal

Alguns dos benefícios relatados da vaporização vaginal incluem:

  • Reduzir significativamente o desconforto, o inchaço e a exaustão associados aos ciclos mensais
  • Diminuir o fluxo menstrual, bem como reduzir o sangue roxo ou marrom escuro no início ou no final da menstruação
  • Regular ciclos menstruais irregulares ou ausentes
  • Aumentar a fertilidade, especialmente quando combinada com massagem abdominal maia
  • Acelerar a cicatrização e tonificar o sistema reprodutivo após o nascimento
  • Tratar miomas uterinos, cistos ovarianos, fraqueza uterina e prolapso uterino
  • Ajudar com a cura de hemorróidas
  • Tratar infecções vaginais/leveduras crônicas e manter o odor saudável
  • Aliviar os sintomas da menopausa

Realmente funciona?

De acordo com os profissionais que oferecem a vaporização vaginal, os tecidos da vagina são excepcionalmente porosos e absorventes, e o calor do vapor funciona para amolecê-los e abri-los. Quando as ervas são colocadas na água quente, suas propriedades medicinais, incluindo óleos voláteis, são liberadas e levadas para a superfície da pele e para o interior da vagina, onde são absorvidas pela corrente sanguínea e, finalmente, o útero.

Segundo quem oferece o tratamento, o vapor de ervas medicinais aumenta a circulação, dilui o muco e limpa todo o sistema reprodutivo, permitindo que ele derrame membranas e acúmulos desnecessários. Ao fazê-lo, apoiamos o útero a funcionar no seu melhor, reduzindo assim a quantidade de trabalho que tem que fazer e, portanto, o seu desconforto.

vaporização vaginal

Ervas usadas na vaporização vaginal

  • Alecrim: Aumenta a circulação nos órgãos reprodutivos, ajuda na limpeza de fluidos antigos e também é anti-séptico e purificador.
  • Lavanda: Uma das ervas mais relaxantes, acalma a mente e o corpo, nutrindo o sistema nervoso. Lavanda é anti-séptico para os tecidos vaginais. É também um antiespasmódico, auxiliando na função uterina saudável.
  • Orégano: usado para provocar a menstruação. Aumenta o fluxo escasso. Esta erva é usada por suas qualidades anti-sépticas, estimulantes e fortalecedoras. O orégano é uma erva maravilhosa para auxiliar na prevenção de infecções.
  • Marigold: Usada para induzir a transpiração, limpeza dos tecidos vaginais. Também cura feridas e ajuda na cicatrização de tecidos devido à episiotomia ou ruptura vaginal. Nota: Não vaporize uma ferida aberta, isso pode causar dor e inchaço.
  • Manjericão: pode reduzir a menstruação dolorosa. Ajuda a provocar a menstruação.
  • Pétalas de rosa: pétalas de rosa são suaves e adstringentes aos tecidos dos genitais.

Outras ervas usadas em combinação com as ervas acima: Folha de Bardana, Mamona, Erva de São João, Milefólio, Trevo Vermelho, Damiana, Camomila, Dente de Leão, Doca Amarela e Videira de Squaw.

As ervas da Medicina Tradicional Chinesa usadas com frequência são Artemísia e Absinto.

Médicos alertam

No entanto, apesar dos possíveis benefícios, os médicos alertam para os possíveis perigos da prática. Veja alguns deles:

Pode alterar o equilíbrio da sua vagina

A vagina não precisa de uma limpeza profunda ou de uma desintoxicação. Intervenções adicionais, como vapor vaginal ou ducha vaginal, não são necessárias para manter a saúde vaginal. Manter a vagina limpa, seca e livre de perfumes é a melhor maneira de manter a vagina saudável. É um mito que a vagina precisa de uma limpeza extensiva, pois ela se limpa para com secreções naturais.

Proliferação de bactérias

Outro risco é o aquecimento da vagina. Quando a temperatura normal (37ºC) é elevada, isso pode aumentar a proliferação de bactérias maléficas e de fungos, como os causadores da candidíase genital, que causa coceira, vermelhidão e inchaço nos órgãos sexuais.

Alteração da flora bacteriana

A vagina contém boas bactérias, que estão lá para protegê-la e manter o equilíbrio do PH. Se estas bactérias forem perturbadas, podem causar infecções como vaginose bacteriana e inflamação. A vaporização vaginal pode afetar esse equilíbrio saudável de bactérias.

Pode causar irritação

A maioria dos tratamentos de vapor usará ervas que prometem fazer de tudo, desde equilibrar os hormônios até desintoxicar o útero. No entanto, o vapor de um chá de ervas é incapaz de fazer qualquer uma dessas coisas.

A alegação de que o vapor limpo pode equilibrar os hormônios é irracional. Os hormônios são produzidos por órgãos como o cérebro e os ovários, viajam pela corrente sanguínea e têm efeitos específicos em seus órgãos-alvo. Vaporizar a vagina não pode afetar os níveis hormonais.

Além disso, o vapor precisaria ser aplicado com grande pressão para ter alguma chance de alcançar o seu útero. O mais provável é que essas ervas possam causar irritações.

vaporização vaginal

Pode queimar

Pode parecer meio óbvio, porém, se não houver cuidado na prática, o vapor direcionado para sua vagina provavelmente vai queimar os lábios da vulva. A área vaginal é sensível e esses tipos de queimaduras podem ser dolorosos e difíceis de tratar. Se você se arriscar na prática, é melhor ter extrema cautela para reduzir o risco de queimaduras.

Vapor pode não ser uma boa ideia

A vagina é mantida naturalmente bem lubrificada com substâncias oleosas. A água não é hidratante para as células. Pelo contrário, ela pode lavar os óleos naturais, deixando a vagina mal lubrificada e mais propensa a cortes e irritações.

Efeito tonificador questionável

O efeito tonificador da vagina também é alvo de dúvidas. De acordo com Virgínia Beckett, do Royal College de Obstetras e Ginecologistas, a tonificação vem dos músculos, por isso não haveria como vaporização tonificar a vagina.

Efeito placebo?

Apesar de algumas mulheres terem notado melhorias na saúde, especialistas afirmam que ainda não há evidências científicas que corroborem esses benefícios. Para a ciência, a sensação provocada pela vaporização está relacionada ao efeito placebo, ou seja, a atividade apresenta resultados por exercer efeitos psicológicos, uma vez que as adeptas acreditam que funciona.

O placebo, que pode ser medicamento ou terapia sem efeitos terapêuticos, é muito usado em estudos científicos para avaliar a eficácia de possíveis tratamentos.

Quanto custa?

Apesar de ser amplamente usada em países como Estados Unidos e Inglaterra, a técnica não é aprovada pelas agências de saúde locais que regulam este tipo de terapia. Mesmo assim, elas são oferecidas em diversos spas. No Reino Unido a sessão custa por cerca de 35 libras (185 reais), já nos Estados Unidos a faixa de preço gira em torno dos 50 dólares (200 reais). No Brasil, os  banhos de vapor estão disponíveis em spas ou em kits caseiros vendidos em lojas especializadas e custam a partir de 10 reais.

vaporização vaginal catia damasceno

Vale a pena?

A resposta é pessoal, mas eu diria para você pensar seriamente antes de tentar essa prática. A vaporização vaginal não traz nenhum dos benefícios prometidos e pode realmente causar-lhe danos. Não experimente algo que você não está 100% segura, não importa quantas celebridades o façam. Uma última dica: pare de esperar que sua vagina esteja sempre cheirando a rosas – é uma vagina. Ela deve ser úmida,cheirar como uma vagina e não precisa de perfumes, vapores, nem nada parecido. Por isso, não vale a pena experimentar algo que pode ser apenas uma moda pode afetar a sua saúde.

Gostou do artigo de hoje? Sempre que você quiser que eu fale sobre algum tema ou responda alguma pergunta você pode me enviar por aqui, na minha página no Facebook ou no meu Instagram que eu terei o maior prazer em responder! Falando nisso, você sabia que toda semana eu gravo um vídeo tirando as dúvidas que vocês me mandam? É só entrar nas minhas redes sociais, mandar sua dúvida e marcar a hashtag #catiaresponde.

Super beijo!

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com suas amigas:

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Nenhuma avaliação)