A libido nada mais é que o sinônimo de desejo sexual e se você sente que está perdendo ou que já perdeu de vez a vontade de se relacionar e chegar nos finalmentes. Mesmo diante dos estímulos sexuais do seu parceiro, pode ser que você esteja com a sua libido em baixa.

O artigo de hoje é justamente para você saber o que fazer para recuperar o tesão, o desejo, o seu apetite sexual.

Libido em baixa, confira como anda a sua:

Clique aqui e descubra como aumentar a sua libido

O que é libido?

A libido é uma função natural e primordial de todo homem e de toda mulher. Ela é influenciada por hormônios e todo o complexo sistema do qual faz parte.

Dessa forma, é totalmente normal que ela se reduza com o tempo, pois a produção do estrogênio nas mulheres, principalmente no período do climatério, pode diminuir a libido com o avançar da idade, mas há outros fatores que podem influenciá-lo.

Resumindo, a libido é a força instintiva que nos impulsiona para o desejo sexual, ou seja é a vontade de fazer sexo.

Libido baixa: causas

A queda da libido a curto prazo pode ser afetada por problemas no relacionamento como brigas ou mesmo quando não estamos num dia muito bom.

Esse pode ser apenas um fator transitório, não havendo necessidade de uma preocupação imediata. A questão só é alarmante quando o problema da falta de interesse sexual se prolonga por um período muito extenso.

Por se tratar de uma questão hormonal o problema atinge homens e mulheres, fazendo com que esse assunto se torne um grande tabu para ambos, e isso se dá pela falta de informação e conhecimento.

Aqui você verá que existem fatores modernos de nossa atual cultura, que estão contribuindo muito para o aumento da falta de libido que estão fora de questões médicas.

Confira agora as causas mais comuns que podem contribuir para a falta de libido:

  • Alterações dos hormônios;
  • Anticoncepcional;
  • Pós parto;
  • Amamentação;
  • Menopausa;
  • Dor durante a relação sexual;
  • Ansiedade;
  • Problemas psicológicos;
  • O uso de medicamentos como antidepressivos;
  • Disfunções sexuais;
  • Estresse;
  • Relacionamentos tóxicos.

Aprenda como aumentar a libido após a gravidez: 

Anticoncepcional afeta a libido?

Sim, eles podem afetar a libido da mulher. E, caso você esteja sentindo que não está se dando bem com o seu anticoncepcional, converse com o seu ginecologista, ele vai te indicar e te acompanhar nessa busca pelo melhor opção para o seu organismo. 

Em vários casos, os anticoncepcionais ajudam a melhorar o desejo sexual. Eles garantem uma eficácia contraceptiva e proporcionar aquele alívio de poder fazer sexo mais tranquila, sem o risco de engravidar, mas a gente sabe que cada organismo responde de uma forma.

Em alguns casos, por alterar a dinâmica da ovulação, pode afetar o desejo de mulheres mais sensíveis a alterações hormonais. Por isso o acompanhamento com um profissional é tão importante.

Dor e desconforto durante a relação sexual pode diminuir a libido da mulher

A dor na vagina durante a relação sexual pode acontecer por diversas razões e circunstâncias e a falta das preliminares é uma delas, justamente por ser o momento onde os instintos e os sentidos devem ser atiçados ao máximo para preparar o seu corpo para o ato sexual.

Assim é realizada a produção e liberação dos hormônios, deixando a mulher excitada, consequentemente mais lubrificada e pronta para a relação sexual.

E, quando se pula essa etapa ou quando a mulher faz sexo sem estar lubrificada, sem vontade, pode ocorrer atrito durante a penetração, gerando dor, traumas resultando na falta de libido.

Por outro lado, quando se tem dor na vagina durante a relação, mesmo com as preliminares, havendo desejo sexual, é preciso ficar atenta.

Essa dor pode ser indicativo de inflamações ou infecções, doenças como o vaginismo ou dispareunia, cistos que podem alterar o sistema genital feminino, ocasionando:

  1. Baixa libido; 
  2. Secura vaginal;
  3. Incapacidade de atingir o orgasmo devido ao desconforto durante as relações sexuais;
  4. A dor na vagina pode ser crônica e pode durar anos em algumas mulheres. O grau de severidade varia entre as mulheres e as causas são diversas;
  5. Pode interferir na atividade sexual tornando-as dolorosas.

Importante:

Incômodo, dor ou sensibilidade durante as relações sexuais são indícios de que nem tudo está funcionando como deveria no seu corpo e buscar ajuda profissional é necessário para manter a sua saúde em dia e se livrar dos incômodos desnecessários. 

Transtorno do desejo sexual hipoativo 

A falta de vontade de fazer sexo, a libido,  pode estar relacionada com o transtorno do desejo sexual hipoativo feminino (TDSH), que é caracterizado por uma  deficiência ou ausência de fantasias e de desejo por atividade sexual, sem outras doenças ou condições que justifiquem. 

Nesse caso, o seu ginecologista  pode indicar o uso de testosterona em doses compatíveis com o organismo feminino, caso seja notado uma melhora na libido e na satisfação sexual.

Principalmente para as mulheres que se encontram na menopausa, mas existem outros medicamentos que o especialista pode te indicar para poder ajudar.

As causas do TDSH podem ser físicas ou emocionais

Entr as causas físicas estão: as alterações hormonais, uso de antidepressivos ou ansiolíticos, falta de desejo após abuso sexual, doenças mentais, presença de alguma doença sexualmente transmissível, tumores e cirurgia. 

Entre os fatores psicológicos estão: a ansiedade, a depressão, transtornos psicológicos, fins de relacionamento, disfunção sexual do parceiro, educação muito rígida, religiosidade, entre outros fatores. 

O tratamento para o transtorno irá depender das causas que levaram o paciente a desenvolver a falta de libido. 

Em vários casos, o acompanhamento de um psiquiatra pode ajudar nas questões emocionais. Já em casos de problemas físicos, é recomendado o uso de medicamentos, associado à terapia e acompanhamento de um psiquiatra.

Libido durante a menopausa

Durante o período da menopausa, acaba ocorrendo uma redução considerável de estrogênio e progesterona no organismo da mulher, que é contínuo até o fim da ovulação.

Por conta desse desequilíbrio hormonal, acaba acontecendo os principais sintomas da menopausa que podem ser amenizados com alguns hábitos saudáveis.

Uma boa alimentação, aliada a prática de exercícios físicos e exercícios para a musculatura pélvica. Essa combinação é perfeita para reduzir os sintomas do climatério, como a baixa libido, proporcionando vários outros benefícios para a saúde da mulher.

6 ideias para recuperar a sua libido:

Conheça os exercícios de ginástica íntima que vão te ajudar a recuperar o seu desejo sexual. Clique aqui!

1. Separe um tempo de qualidade com o seu parceiro:

Para vocês relaxarem juntos e namorarem um pouco, deixando de lado as preocupações da vida e o estresse que é uma das causas mais comuns que resulta em baixa libido.

2. Comece a colocar pequenas metas semanais em seu relacionamento:

Busque testar novas posições sexuais, transe em lugares diferentes, traga novidades como acessórios, uma lingerie bonita, pode ser que seu parceiro estranhe de cara, mas converse, proponha experimentar coisas novas e peça sugestões dele também.

Quando o sexo cai na rotina a libido costuma cair junto.

3. Sexo na agenda:

Comece a anotar na sua agenda, ou aonde você quiser, os dias que você tem feito sexo. Essa dica funciona com muitas mulheres, pois no subconsciente você acaba querendo transar mais para poder dar os checklist na agenda, tornando-a mais atrativa, aumentando o seu desejo e te estigando a se preparar melhor para o dia que está ali anotado. 

4. Cuide de você: 

Pratique exercícios, durma bem, se alimente melhor.  Em nós mulheres, o principal hormônio sexual é o estrógeno, ele precisa da vitamina D para ser produzido, um nutriente essencial para que a libido feminina seja regulada. 

Uma dieta balanceada já vai te ajudar nesse sentido, juntamente com o  uso de vitaminas e outros nutrientes indicados por nutricionistas, com certeza vai ajudar a aumentar a sua libido. 

A pratica de exercícios vai te ajudar no sentido de te deixar mais disposta, sem preguicinha na hora do sexo.

Em um estudo que foi publicado na revista científica Journal of Education and Health Promotion, há uma ligação benéfica entre os exercícios físicos e a saúde sexual.

Isso porque a experiência sexual é afetada pela gordura corporal e, obviamente, as atividades físicas ajudam a regulá-las, gerando uma melhora na libido da mulher.

5. Durma bem:

também vai ajudar a sua libido, justamente porque dormir bem é essencial para manter uma boa saúde. A qualidade do seu sono pode proporcionar ainda mais benefícios do que parece. 

Uma pesquisa que saiu no  The Journal of Sexual Medicine, informa que a quantidade de horas dormidas está diretamente relacionada com o desejo sexual das mulheres.

Assim, a gente conclui que mulheres que dormem por uma boa quantidade de horas têm mais desejo sexual do aquelas que dormem pouco. Concorda comigo?  Então, durma a quantidade de horas adequada para melhorar o seu desejo e desempenho sexual.

6. Pratique pompoarismo feminino:

Com os exercícios de ginástica íntima o canal vaginal é irrigado com mais sangue, com isso a vagina fica mais sensível, lubrificada e aquecida. Te deixando mais excitada, aumentando a sua libido. Os exercícios são práticos, podem ser realizados em qualquer lugar, pois são imperceptíveis e não tomam muito tempo. Tem coisa melhor? 

Libido e as variações ao longo da vida

A libido pode naturalmente sofrer variações ao longo da vida, por isso é muito importante ficar atenta aos sinais de que sua libido está baixa. Eu já te mostrei quais são as principais causas, pois como existem vários fatores que influenciam o desejo sexual é importante saber identificar e prevenir.

A libido está diretamente relacionada a uma boa vida sexual, que como sabemos, traz uma série de benefícios para a saúde e principalmente para a autoestima.

É muito importante saber quais fatores atingem homens e mulheres em suas diferentes formas, mas saber o que as novas pesquisas sobre a libido demonstram e as novas causas que atingem igualmente ambos sexos nos dias de hoje, pode fazer você se sentir um pouco mais segura e precavida.

Porque estamos transando menos, o que dizem as pesquisas:

Uma pesquisa comportamental norte-americana realizada pela Universidade de Chicago, não tinha a intenção de estudar a libido da população, mas constatou que 28% dos homens com menos de 30 anos declararam estar sem fazer sexo a quase um ano. 

Em consequência disso, o número de mulheres dentro da mesma faixa etária obteve resultados abaixo daqueles apresentados em anos anteriores, por isso é difícil afirmar que a falta de libido tem uma relação direta com o gênero.

Fenômenos semelhantes estão acontecendo em diversos países, mas nenhum se compara com  a falta de libido dos japoneses. Pesquisas recentes demonstram que quase 50% da população entre 18 e 35 anos ainda conservam sua pureza intacta, ou seja, ainda são virgens.

Vemos que não são apenas aspectos de gênero, cultura ou econômicos (visto que Estado Unido e Japão são países ricos) que vêm influenciando a falta de libido pelo mundo há novos fatores diferentes daqueles já analisados por especialistas de sexualidade.

Causas modernas da falta de libido

Você também pode estar percebendo que a falta de libido tem impactado sua vida sexual, e não importa se você é casada ou solteira, existem fatores modernos que vão além das causas naturais como:

  • Problemas emocionais
  • Depressão
  • Baixa autoestima
  • Disfunção Hormonal
  • Medicamentos como antibióticos e antidepressivos
  • Pílula Anticoncepcional
  • Bebidas alcoólicas e tabagismo

As maiores causas da falta de libido nos dias de hoje são frutos da dependência tecnológica das quais estamos sofrendo nos últimos anos. 

Pare para pensar, as tecnologias, principalmente a internet, nasceu com intuito de nos conectar com pessoas distantes, mas estamos cada vez mais longes de pessoas próximas.

Veio para nos ajudar a ter resultados de produtividade mais rápidos para termos mais tempo para cuidar de nós, mas nos transformou em pessoas multitarefa que não tem tempo para nada.

Veja como a tecnologia vem prejudicando a libido sexual:

como a tecnologia vem prejudicando a libido sexual

1. Maior facilidade de acesso a pornografia

Esse é um aspecto que atinge mais aos homens, que são extremamente visuais e por isso realizam o maior número de acessos a sites pornográficos.

Sem falar das inúmeras imagens e vídeos que recebem diariamente em grupos específicos de WhatsApp e Telegram destinados exclusivamente para esse tipo de conteúdo.

O acesso descontrolado de pornografia tem efeitos nocivos a sexualidade. Uma vez que o orgasmo é facilitado pela masturbação, muitos, principalmente homens, não querem se dar ao trabalho de viver as etapas básicas do jogo da conquista, como convidar para sair e enviar presentes.

Esse tipo de comportamento, além de reduzir a libido, pode gerar baixa autoestima e ansiedade, uma vez que são criadas novas realidades e fantasias sexuais que muitas vezes não serão realizadas na realidade.

2 – Redes sociais, Youtube e outros do gênero

As redes sociais, principalmente o Youtube, assim como os pacotes de “streaming” como Netflix e outros, alteram a rotina dos momentos de relaxamento das pessoas deixando o sexo para segundo plano.

Agora o sexo, que em tempos atrás era uma opção viável para melhorar a relação íntima do casal, disputa seu tempo e espaço com seriados, programas e filmes impedindo que a vontade e a libido possam acontecer naturalmente.

O programinha de final de semana dos namorados, solteiros e casados é maratonar os conteúdos disponíveis nas redes e não mais momentos relaxantes de descoberta de formas e maneiras de ter prazer sexual a dois.  

3 – Smartphones e Tablets: Amigos inseparáveis

Os “mobiles”, como são chamados os smartphones e tablets, agora nos acompanham a qualquer hora e lugar. São nossos amigos inseparáveis.

Quantas conversas e experiências prazerosas são interrompidas para dar uma olhadinha no que está acontecendo no Instagram ou Facebook, temos a necessidades de acessá-lo a todo instante para não perder as novidades.

Pare para pensar que quando você está indo para a cama, lá estão eles, a primeira coisa que você faz ao acordar e ver os alertas e mensagens recebidas.

Cuidado, as tecnologias possuem muitos benefícios, mas o uso exagerado delas vai gradativamente anulando nossos instintos básicos, diminuindo nossa libido e assim tirando a vontade de fazer sexo.

Como aumentar libido, driblando as tecnologias?

A tecnologia não deve ser vista como a grande vilã da libido, uma vez que ela traz uma série de benefícios para nossas vidas, principalmente quando utilizada para apimentar a relação como o uso do sexting (sexo por mensagem) ou dirty-talk (conversas picantes).

Proporciona o encontro de pessoas pelos diversos aplicativos de relacionamento disponíveis no mercado como o Tinder.

Além de ser um bom meio para ter informações sobre a saúde sexual e aprender práticas que melhoram a relação e o desempenho sexual.

É por isso que vou deixar aqui algumas dicas infalíveis para que você possa se desconectar um pouco das tecnologias e se conectar melhor com seu parceiro e poder aumentar a libido e ter uma vida sexual mais ativa e prazerosa.

1 – Invista em brincadeiras picantes

As brincadeiras picantes são uma grande oportunidade que você tem mão para tornar as experiências sexuais mais atrativas e interessantes do que os conteúdos encontrados nos celular.

Vários são os benefícios dessa prática, mas sem dúvidas, o mais importante para o aumento da libido é a possibilidade de despertar novas e diferentes de ter prazer.

Com isso você não vai mais pensar duas vezes antes de optar pelo telefone ou pelo sexo, afinal tudo o que você precisa para ser feliz está pronto e esperando por você.

2 – Apimente a relação com o pompoarismo

Se o grande motivo da falta de libido é encontrar coisas mais atrativas na internet, então a solução é surpreender o parceiro fazendo coisas mais atrativas ainda na cama, concorda?

Sim, é possível, aumentar a sua capacidade de ter prazer e ao mesmo tempo dar mais prazer ao seu parceiro obtendo os os benefícios sexuais do pompoarismo feminino.

Nada melhor do que aumentar a libido potencializando as doses de orgasmo que os movimentos propostos pelo pompoarismo podem proporcionar.

Curso de ginástica íntima (Pompoarismo) – Clique aqui para saber mais!

3 – Explore preliminares tentadoras

As preliminares são um ótimo exercício de criatividade que provocam a imaginação do parceiro, estimulando que ele queira deixar tudo de lado só para saber o que vem depois.

Esse é o principal sentido delas e por isso não estão ali por acaso, pois é nessa fase que o corpo vai liberando cada vez mais estímulos de prazer e o corpo vai mudando suas resposta de atenção.

4 – Invista tempo para criar hábitos meditativos

Essa dica pode soar um pouco estranha, mas faz todo sentido aqui pois estamos falando sobre onde está focada a nossa concentração.

A meditação e o yoga são excelentes práticas que não apenas ajudam a reduzir os níveis de estresse e ansiedade, mas ajudam no processo de autoconhecimento do corpo e da mente.

Se o problema é o foco em coisas que estão fora de nós, então essas práticas ajudam a estimular e trabalhar as coisas que realmente são importantes e uma delas é uma vida sexual saudável e ativa.

Você já tinha parado para pensar nessas coisas? Gostou desse artigo?

Se você encontrar mais situações que possam agravar a  falta de libido deixe aqui nos comentários que terei o maior prazer em buscar saber mais sobre o assunto para te contar.

Um super beijo!

Texto de Cátia Damasceno

Cátia Damasceno é Fisioterapeuta especializada em uroginecologia, coach, palestrante e idealizadora do Programa Mulheres Bem Resolvidas.