X

Laser vaginal: ele ajuda na falta de lubrificação feminina

Você já ouviu falar sobre o laser vaginal? Ele também conhecido como laser ginecológico ou laser de rejuvenescimento íntimo.

Este tratamento vem ganhando popularidade entre as mulheres devido a praticidade, rapidez e intolerância e/ou contraindicação à reposição hormonal.

Essa é uma técnica pouco invasiva, que é realizada através da aplicação de um laser que estimula a regeneração e a formação do colágeno vaginal através do calor.

Neste artigo vamos explicar como o laser vaginal pode ajudar as mulheres que apresentam diminuição da lubrificação e ressecamento vaginal.

O que é o ressecamento vaginal?

Antes de falarmos sobre o laser vaginal, precisamos explicar o que é o ressecamento vaginal, algo que incomoda inúmeras mulheres de todas as idades. Vamos lá?

Com a menopausa, os ovários produzem uma quantidade menor de estrogênio, um hormônio responsável por diversas características femininas, como:

  • Lubrificação feminina;
  • Tamanho dos seios;
  • Controle da ovulação;
  • Textura da pele;
  • Preparo do útero para abrigar o bebê;

Desta forma, a redução de estrogênio acarreta em uma série de alterações no corpo das mulheres.

Dentre elas, as paredes vaginais sofrem alterações na sua espessura (ficam mais finas), mais secas e menos flexíveis. Isso resulta em um prejuízo significativo na qualidade sexual dessas mulheres.

A condição conhecida como ressecamento vaginal, é comum na fase da menopausa e é resultado da queda hormonal.

Porém, o ressecamento vaginal não se limita somente às mulheres na menopausa. Mulheres jovens também podem sofrer com essa condição, sendo esta primária ou resultado de outras patologias.

Esse é um sintoma que pode ser extremamente desconfortável. Com o ressecamento vaginal, muitas mulheres acabam apresentando desconforto, lacerações e dor durante a relação sexual.

Isso afeta profundamente a qualidade de vida sexual e o bem-estar físico e emocional do casal.

Esta é uma condição que além desses prejuízos pode também acarretar em infecções urinárias de repetição, corrimentos e inflamações locais.

Desta forma, qualquer mulher que apresenta ressecamento vaginal ou qualquer uma das alterações citadas acima deve procurar um ginecologista e iniciar o tratamento mais adequado.

O que é o Laser vaginal?

O laser vaginal vem ganhando muita popularidade entre as mulheres por diversos fatores.

Muitas mulheres optam inicialmente pelo uso de creme vaginal para o ressecamento vaginal. No entanto, este tipo de tratamento demanda esforço, uso rotineiro e os resultados são observados a longo prazo.

Além disso, muitas mulheres apresentam contraindicação à reposição hormonal (histórico de trombose, alterações mamárias, dentre outros) ou não se adaptam aos efeitos colaterais da reposição hormonal.

Dessa forma, o laser vaginal surgiu como uma alternativa rápida e fácil para essas mulheres.

O tratamento, geralmente, é feito em uma a três sessões de 10 a 20 minutos.

O uso do laser ativa as células locais, aumentando a circulação local e estimulando a produção de colágeno e a regeneração celular.

Isso acarreta em um aumento da tonicidade e lubrificação feminina.

Como funciona o Laser Vaginal?

A aplicação do laser íntimo através de calor aumenta a circulação local, regenera as células e também aumenta a produção de colágeno.

Isso resulta no aumento da lubrificação feminina, diminuição da flacidez vaginal e melhora do ressecamento vaginal.

Antes do procedimento é realizada a aplicação de anestesia tópica vaginal.

O laser é aplicado na parte interna da mucosa vaginal através de uma ponteira específica.

É um procedimento indolor, sem queimaduras, cortes ou pontos. Algumas mulheres relatam um discreto desconforto passageiro durante a aplicação do laser.

Quando ocorre, esse discreto desconforto é facilmente controlado com o uso de analgésicos.

A paciente pode retornar às atividades no mesmo dia da aplicação do laser.

Na semana após o procedimento, já é perceptível a diferença na lubrificação vaginal. Sensacional, né?

Quem pode fazer tratamento com laser vaginal?

Qualquer mulher que esteja sofrendo com ressecamento vaginal e perda da lubrificação feminina.

No entanto, todas as mulheres devem passar em consulta com a sua ginecologista para uma avaliação e exame físico completo, antes de qualquer procedimento.

O laser vaginal é muito usado por mulheres na menopausa, principalmente nas mulheres que não podem realizar reposição hormonal.

O envelhecimento da vagina se dá por vários fatores além da idade, como:

  • Cirurgias;
  • Quimioterapias;
  • Alguns medicamentos;
  • Anabolizantes, dentre outros fatores;

Segundo estudos, até metade das mulheres que entram na menopausa podem apresentar diminuição da lubrificação feminina. Já as mulheres na pré-menopausa e amamentando, representam somente 20% dos casos.

Existem ainda algumas situações específicas também podem resultar em ressecamento vaginal, dentre elas destacam-se:

  • Quimioterapia;
  • Radioterapia;
  • Distúrbios psicológicos;
  • Tratamentos hormonais em que a mulher para de menstruar;

Laser vaginal: situações específicas

Além do ressecamento vaginal e diminuição da lubrificação íntima, o laser também pode ser utilizado para situações específicas.

  • Mulheres com incontinência urinária discreta;
  • Flacidez vaginal;
  • Rejuvenescimento íntimo;
  • Alterações de cor da pele;
  • Alterações cicatriciais;
  • Tratamento de Líquen escleroso;

Os resultados são imediatos?

Sim. Cerca de 80% das pacientes já apresentam uma melhora significativa após a primeira sessão.

Caso o ressecamento vaginal persista ou ocorra o retorno dos sintomas, podem ser necessárias aplicações de reforço.

No entanto, todo caso deve ser avaliado individualmente e muitas mulheres podem necessitar de 2 a 3 sessões.

É importante ressaltar que o tratamento com laser de rejuvenescimento íntimo só pode ser realizado por ginecologistas especialistas.

Laser vaginal: conclusão

No artigo de hoje, explicamos como o laser vaginal pode ajudar no aumento da lubrificação feminina, tratamento do ressecamento vaginal e muito mais!

Lembre-se de sempre procurar um profissional de confiança antes de realizar o procedimento, está bem?

Se você gostou do artigo não esqueça de curtir e compartilhar com as amigas.

Ficou com alguma dúvida? Comenta aqui embaixo, vamos adorar responder.

Este texto foi escrito pela Dra. Camila Bonacordi – CRM 175203

Artigos Relativos