Anorgasmia: porque tantas mulheres têm dificuldade em chegar ao orgasmo?

Se você gostou desse Blog clique no +1:

Anorgasmia: porque tantas mulheres têm dificuldade em chegar ao orgasmo?

Recentemente eu estive do Programa Mulheres da TV Gazeta, eu e Cátia Fonseca conversamos a respeito da anorgasmia feminina: que é a dificuldade ou incapacidade da mulher em chegar ao orgasmo.

São muitas as mulheres que relatam ter essa dificuldade em chegar ao orgasmo, em se soltar na cama e sentir prazer. Se esse for o seu caso, assista ao vídeo e veja as dicas que eu tenho para você.

Segundo pesquisa realizada pelo Pro Sexo – Programa de Atendimento Sexual do Hospital das Clínicas de São Paulo 78,8%das mulheres Brasileiras relatam alguma insatisfação na vida sexual. No Brasil, 8,2% das mulheres se queixam de absoluta falta de desejo sexual; 26,2% não atingem o orgasmo; 26,6% têm dificuldade de excitação e 17,8%, dispareunia (dor durante a relação).

A maioria das mulheres só conseguem chegar ao orgasmo com a estimulação clitoriana, na masturbação ou com sexo oral, mas não na penetração. Também existem os casos de mulheres que nem mesmo sabem se já chegaram ao orgasmo.

Eu costumo dizer que se você não sabe se já teve ou não um orgasmo, é bem provável que você nunca tenha chegado lá, quando você conseguir, pode ter certeza que você vai saber o como é.

Eu falo mais sobre as sensações do orgasmo num outro artigo aqui do blog: como chegar ao orgasmo com facilidade.

chegar ao orgasmo

O ciclo de resposta sexual da mulher acontece em 3 etapas: desejo, excitação e por fim o orgasmo.

Você tem que investigar e entender em qual das etapas está o bloqueio, a mulher que sofre de anorgasmia, não necessariamente sofre de baixa de libido ou de falta de excitação. Por isso, o autoconhecimento e a auto-observação são fundamentais, você só vai conseguir eliminar os bloqueios se descobrir o que realmente está te bloqueando.

Muitas mulheres relatam se sentirem culpadas e ficam preocupadas quando não chegam ao orgasmo, algumas inclusive, dizem que os parceiros cobram disso delas, grande erro! Quanto mais a mulher procura obter o orgasmo, mais difícil ele se torna, chegando ao ponto de com o passar do tempo, acabar perdendo o interesse pelo sexo, passando a evitar as relações e comprometendo o relacionamento. O importante é diminuir a pressão, relaxar e principalmente se conhecer.

Fatores que podem provocar a anorgasmia: dificuldade em chegar o orgasmo

  • Fingir Orgasmo

Fingir o orgasmo é uma péssima alternativa e pode causar anorgasmia. Segundos várias pesquisas das quais eu já li sobre o assunto, a maioria das mulheres fingem orgasmos por dois motivos. O primeiro, para não desmotivar ou magoar o parceiro, e o segundo, para que a relação acabe logo. Mas a verdade é que fingir é uma péssima ideia, primeiro porque o seu parceiro pode acabar percebendo, e se isso acontecer, você vai mago-lo ainda mais, ou pior ainda, ele pode acreditar e vai continuar fazendo tudo do mesmo jeito, e desse jeito você não está conseguindo chegar lá.

Além disso, quando você fingi, você fortalece a crença de que você é incapaz de chegar ao orgasmo, ou seja, o seu cérebro passa a acreditar de que você não pode de ter um orgasmo, e amiga se o seu cérebro não acredita nisso, vai ficar quase impossível de você liberar o fluxo que permite o orgasmo acontecer.

  • Apego aos tabus

A educação rígida e a repressão sexual geram profundas obstruções em relação sexo, que passa a ser visto como algo errado e sujo, isso com certeza bloqueia o prazer e tira a concentração da mulher no momento presente.

  • Estresse

O estresse e as preocupações do dia a dia bloqueiam o relaxamento e não deixam a mulher se concentrar no momento presente. O sexo é ao mesmo tempo um ato físico e emocional, para o prazer fluir, seu corpo físico precisa estar funcionando bem, mas os fatores psicológicos também são fundamentais. A mulher precisa estar focada no ato sexual, para sentir cada toque, cada carícia e ir se abrindo a cada estímulo.

  • Falta de atração

Esse fator é mais constante nas mulheres que sofrem de anorgasmia secundária, ou seja, as que já tiveram orgasmo com facilidade no passado, mas que agora sentem dificuldade em chegar ao ápice do prazer. É natural que toda aquela química e o tesão do início do relacionamento esfriem com o tempo, mas vai ser difícil chegar ao orgasmo se você não resgatar o sentimento de atração pelo parceiro. Noites românticas, surpresas eróticas e novidades na cama são ótimas estratégias para reascender o tesão do relacionamento.

anorgasmia feminina
  • Problemas de saúde

Várias doenças e problemas de saúde podem interferir no interesse da mulher pelo sexo e bloquear a possibilidade de um orgasmo surgir.

Infecções vaginais e doenças no colo do útero podem prejudicar a lubrificação, gerar desconforto na penetração, dor durante a relação e consequentemente a anorgasmia. Doenças como diabetes e alterações hormonais, diminuem a sensibilidade da mulher e atrapalham a condução do estimulo físico enviar a mensagem para cérebro. Se você tem um problema de anorgasmia, é muito importante que você converse abertamente sobre isso com o seu médico e ginecologista, eles vão te ajudar a investigar e descobrir se existe algum problema fisiológico, e geralmente os problemas fisiológicos são os mais simples de serem tratados.

  • Falta de consciência corporal

A falta de conhecimento do próprio corpo é um problema, são muitas as mulheres nunca se tocaram e que realmente nunca pararam para explorar os prazeres que o seu próprio corpo oferece. Tocar a vagina, os seios e o corpo é fundamental para descobrir os pontos de prazer, para inclusive poder orientar o parceiro. A falta de sensibilidade na vagina também atrapalha bastante. O clitores oferece muito prazer a mulher, mas a penetração também, e são poucas as mulheres que conseguem chegar ao orgasmo vaginal, exatamente pela falta de consciência vaginal, a ginástica íntima ajuda muito a desenvolver essa habilidade de orgasmo vaginal.

  • Flacidez vaginal

A sua região íntima é composta por uma estrutura muscular chamada assoalho pélvico. Essa estrutura tender a começar a ceder a partir dos 20 anos de idade. Ou seja, em média, a partir dos 20 anos de idade, a mulher que nunca exercitou a musculatura vaginal tende a sofrer com a flacidez vaginal. Quando a vagina está mais flácida, a sensação da penetração do pênis é menos intensa, tanto para o homem, que consegue perceber essa frouxidão, quanto para a mulher. Com o canal vaginal mais largo, a penetração é menos prazerosa. A ginástica íntima também é uma ótima prática para tratar e prevenir esse problema.

  • Medicamentos

Antidepressivos, diuréticos, medicação para úlcera gástrica e anticoncepcionais são medicamentos que inibem a libido, ou seja, o desejo pelo sexo. Os anticoncepcionais inibem a ovulação e, com isso, diminuem a libido”, Já os outros medicamentos atuam no sistema nervoso central, diminuindo o hormônio responsável pelo prazer. Mas uma vez, conversar sobre isso com o médico e com o ginecologista é fundamental, as vezes uma simples substituição de medicamento pode solucionar o problema.

  • Uso abusivo de álcool

Algumas mulheres gostam de tomar um vinho ou alguns drinques para se soltar durante o sexo, e realmente isso pode ajudar. Mas o fato é que o exagero no álcool diminui a capacidade sensorial da mulher, que vai ficar menos sensível aos estímulos físicos que são fundamentais para que o orgasmo aconteça.

  • Ciclo menstrual

O prazer sexual pode variar de acordo com o seu ciclo. Na semana da menstruação, a sua libido pode ficar maior devido aos altos níveis hormonais, principalmente estrógeno e testosterona.

Com o aumento de circulação sanguínea na região da pélvis, o clitóris também fica mais sensível e é mais fácil chegar ao orgasmo. Uma semana após a menstruação, os níveis hormonais continuam altos e o seu corpo começa a se preparar para a ovulação, que ocorre aproximadamente 14 dias após a menstruação. Nesse período, a lubrificação vaginal está maior, favorecendo a penetração e trazendo mais conforto à mulher, que fica mais relaxada para ter orgasmos. No meio do ciclo, ocorre a ovulação e pode ser um período doloroso para a mulher, menos favorável à relação sexual. Já na semana que antecede a menstruação, há queda da libido e TPM, sendo uma fase bem mais difícil de chegar ao orgasmo. “Vale lembrar que é preciso respeitar esse tempo se não houver possibilidade de manter relações sexuais – afinal, dura apenas alguns dias”

  • Trauma de violência sexual

Mulheres que já foram vítimas de violência sexual necessitam de acompanhamento médico de rotina, com suporte psicológico e orientação sexual. “Não tenha medo ou vergonha de falar sobre o que aconteceu e converse com o seu ginecologista”. Em vez de relaxar e aproveitar a relação sexual, a mulher pode relembrar cenas tristes que aconteceram, interferindo na libido. O apoio profissional irá minimizar esses traumas e preparar a mulher para uma vida sexual saudável.

  • Baixa autoestima

Problemas como depressão e falta de autoestima inibem a produção da ocitocina e podem causar a anorgasmia. A Ocitocina é conhecida como o “hormônio do prazer”, esse hormônio melhora a libido, a performance sexual e os orgasmos. Em mulheres, especificamente, a Ocitocina estimula a lubrificação vaginal e facilita o orgasmo. Existem alguns fatores que melhoram a produção e a ação da Ocitocina: contato físico, abraços, massagens, barulho, leitura, canto, intercursos sexuais, atividade física moderada e regular, alimentação balanceada (sem restrição calórica e rica em frutas, vegetais, carne, frango, ovos e peixe), momentos de diversão e relaxamento. Nesse outro artigo eu dou várias dicas que podem te ajudar a resgatar sua autoestima.

As mulheres merecem sentir orgasmos

São muitos os casos de mulheres que se indentificam com um ou vários desses fatores que provocam a anorgasmia, se isso acontecer com você, não precisa ficar desesperada, a solução é mais simples do que você imagina. Vá trabalhando aos poucos para solucionar cada um desses fatores e eu te garanto que em pouco tempo você vai saber como chegar ao orgasmo com mais facilidade.

Afinal de contas, a mulheres também podem e merecem sentir orgasmos, quem sabe até mesmo orgasmos múltiplos, e não fazer sexo apenas para agradar o parceiro, concorda comigo?

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com suas amigas:

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 avaliações, média: 4,00 de 5)