10 motivos que explicam a falta de apetite sexual (e como resolver!)

Se você gostou desse Blog clique no +1:

10 motivos que explicam a falta de apetite sexual (e como resolver!)

Eu sempre digo que o sexo é algo fantástico. Ele tem o poder de apimentar um relacionamento, unir as pessoas e renovar o amor. No entanto, quando nosso desejo sexual diminui e o sexo fica cada vez mais raro, pode causar grandes estragos. Casais podem ficar devastados porque acham que o relacionamento está chegando ao fim. Seu parceiro pode se sentir rejeitado e você se sente um fracasso. Os níveis de estresse podem aumentar, tornando as coisas ainda piores. Mas, afinal por que nossa libido diminui? Para responder essa questão, eu trouxe 10 motivos que explicam a falta de apetite sexual e algumas dicas de como o problema pode ser superado. Vamos lá?

falta-de-apetite-sexual-catia-damasceno

No texto de hoje vamos falar sobre:

  • Falta de apetite sexual
  • Não existe um parâmetro
  • Transtorno do desejo sexual
  • Principais causas da perda de apetite sexual
  • Tratamento para a falta de apetite sexual
  • Dicas para driblar o apetite sexual
  • Comunicação é fundamental

Falta de apetite sexual

O desejo por sexo é muito semelhante ao desejo por comida, já que ambos podem ser definidos como um tipo de “apetite”. Assim como podemos ter uma perda de apetite por comida, também podemos perder nosso desejo por sexo.

Uma baixa libido refere-se à falta de desejo sexual ou falta de interesse em ter relações sexuais. Embora a falta de desejo sexual possa afetar ambos os sexos, ela é mais comumente relatada em mulheres do que em homens.

O desejo sexual varia de pessoa para pessoa e o desejo, na maioria dos casos, depende de uma série de circunstâncias. Às vezes, uma baixa libido é resultado de condições físicas subjacentes, enquanto outras vezes pode estar ligada à problemas psicológicos ou a uma combinação dos dois. A baixa libido pode causar uma série de dificuldades de relacionamento e também afetar a autoestima do casal.

Não existe um parâmetro

Uma das primeiras coisas que você precisa saber é que não há frequência normal ou conjunto de comportamentos certos e errados. Porém, quando uma mulher experimenta uma diminuição significativa no interesse pelo sexo que está tendo um efeito em sua vida e está causando sofrimento, então é considerado um problema de baixo desejo sexual.

Transtorno do desejo sexual

A perda do desejo sexual, conhecida em termos médicos como transtorno do desejo sexual hipoativo (TDSH) é a forma mais comum de disfunção sexual entre mulheres de todas as idades. Um estudo recente mostrou que quase um terço das mulheres com idades entre 18 e 59 anos sofrem com o interesse perdido em sexo.

Ao contrário da principal queixa sexual dos homens – a disfunção erétil -, o maior problema sexual das mulheres é causado por uma combinação de fatores mentais e físicos, que provavelmente não serão curados com o simples uso de uma pílula.

transtorno

Principais causas da perda de apetite sexual

1. Relacionamento ruim

Brigar constantemente com seu parceiro é uma maneira fácil de matar seu desejo sexual. Quando você está com raiva ou magoada, o sexo é a última coisa em sua mente. Se você for fazer sexo chateada, provavelmente será uma experiência ruim para ambos e você sairá insatisfeita.

Além disso, quando se trata de relacionamentos longos, não há dúvida de que a rotina afeta o apetite sexual dos casais. Estima-se que um em cada três casais tenha uma lacuna de desejo sexual. Simplificando, nesses casamentos, um dos cônjuges quer sexo com muito mais frequência do que o outro. E isso significa problema. De fato, os terapeutas sexuais relatam que uma lacuna de desejo sexual é o problema sexual número um trazido para seus consultórios. Se você é o cônjuge que tem maior desejo ou aquele cujo interesse diminui, saiba que ambos precisam ser proativos se quiserem que as coisas melhorem em seu relacionamento.

2. Estresse

Não importa de onde vem o estresse, tudo isso pode fazer com haja falta de apetite sexual. Não importa se você está estressada por problemas financeiros, por tentar engravidar ou por se preocupar com o seu trabalho. Tudo isso impacta negativamente sua libido. O estresse também pode levar você a ficar cansada, o que piora o problema.

3. Álcool e cigarros

Ambas as drogas diminuem o desejo e a satisfação sexual. Embora o álcool não cause problemas se for ingerido de forma moderada, quando você bebe demais, a disfunção sexual começa a ocorrer. Por outro lado, qualquer tipo de cigarro é ruim e pode diminuir o apetite sexual.

4. Transtornos mentais

Transtornos mentais como depressão também podem fazer com que sua libido diminua. A depressão afeta todos os aspectos da sua vida, fisicamente, mentalmente e pode causar problemas de libido. Às vezes, os medicamentos usados ​​para tratar essas condições também podem causar uma queda na libido – mas nem todos os medicamentos o fazem-, então converse com seu médico.

5. Controle de natalidade

Os hormônios presentes nas pílulas diminuem a testosterona em seu corpo, o que poderia levar a uma diminuição da libido. Isto porque a testosterona é um dos hormônios que faz você ficar com tesão.

Outros medicamentos como antidepressivos, medicamentos anticonvulsivos, opiáceos, maconha medicinal, anti-histamínicos e medicamentos para hipertensão também podem diminuir seu desejo sexual. Converse com seu médico sobre a troca de seus medicamentos se achar que algum deles está causando um problema. O seu médico também pode mudar você para uma opção de controle de natalidade não hormonal, como o DIU.

falta-de-apetite-sexual-catia-damasceno

6. Trauma no seu passado

Experiências sexuais negativas no passado podem causar problemas como diminuição da libido. Mulheres que foram estupradas ou vítimas de violência doméstica podem, compreensivelmente, ter problemas nesse sentido. Ir à terapia para trabalhar com sua dor pode ajudar.

7. Problema vaginal

Às vezes, a libido é afetada pelo estilo de vida. Outras vezes, porém, há uma razão médica em que a sua é baixa. O vaginismo, por exemplo, é uma condição dolorosa que causa espasmos vaginais que dificultam a penetração. O sexo se torna doloroso, portanto o vaginismo afeta você mentalmente e sua libido é afetada. Se você sofre com esse problema, é difícil ficar excitada com o sexo com penetração; o  pensamento de qualquer coisa perto de sua vagina faz com que você se encolha. Embora ainda misterioso em termos de causas, o vaginismo é tratável através de dilatadores vaginais, técnicas de relaxamento e terapia.

8. Condições Médicas

Doenças médicas como diabetes, hipertensão, doenças da tireóide, insuficiência cardíaca congestiva ou câncer podem afetar a libido. Elas podem alterar os hormônios que afetam seu impulso sexual. O tratamento adequado da doença subjacente pode muitas vezes melhorar a libido.

9. Gravidez e Aleitamento Materno

Os hormônios flutuam durante a gravidez e amamentação, o que pode diminuir o seu desejo sexual. Estar grávida pode fazer você ficar cansada e não se sentir sexy, o que certamente não ajuda a sua libido! Faça o seu melhor para se concentrar na intimidade com o seu parceiro (também, quando tiver o bebê, peça ajuda). Deixe os avós ajudarem ou a babá!

10. Envelhecimento

Com o início da menopausa, chega o fim dos períodos, mas as mudanças hormonais que a acompanham podem diminuir o apetite sexual. Na menopausa, os níveis de estrogênio caem drasticamente porque os ovários não estão mais funcionando e isso pode causar uma diminuição no apetite sexual. Converse com seu médico sobre as opções de tratamento disponíveis para as pessoas na menopausa que desejam recuperar seus impulsos sexuais.

casal

Tratamento para a falta de apetite sexual

Como a perda do desejo sexual em mulheres é causada por uma combinação de fatores físicos e psicológicos, geralmente é necessário mais de um tratamento para resolver o problema. Uma vez que os fatores que causam o baixo desejo sexual tenham sido determinados, as opções potenciais de tratamento podem incluir:

  • Terapia sexual e/ou aconselhamento de relacionamento: a terapia sexual é muito eficaz para casais. A disfunção sexual geralmente afeta as duas partes em um relacionamento e deve ser discutida em conjunto ou individualmente com um profissional de saúde mental.
  • Mudança de medicamentos ou alteração da dose: se o problema é causado por medicamentos, uma mudança de prescrição ou terapias alternativas podem ser recomendadas. Se um contraceptivo oral é suspeito como o culpado na redução dos níveis de testosterona, uma formulação diferente ou métodos de controle de natalidade não hormonais podem ser prescritos.
  • Abordar as condições médicas: problemas médicos que contribuem para o baixo desejo sexual podem requerer tratamento cirúrgico, como a remoção de miomas doloridos ou medicação.
  • Estrogênios vaginais: em mulheres na pós-menopausa, a secura vaginal pode ser tratada com cremes de estrogênio vaginais.
  • Além disso, várias terapias envolvendo pílulas de testosterona ou projetadas especificamente para tratar problemas sexuais femininos estão sendo estudadas atualmente.

Dicas para driblar o apetite sexual

1. Dê prioridade a sua vida sexual

Você deve prestar atenção na sua vida sexual. A primeira é o seu relacionamento com seu parceiro. Seu futuro juntos depende disso. Você precisa parar de pensar que pode ter um ótimo relacionamento sem sexo, a menos que seu parceiro concorde plenamente. Não se contente em fazer amor sem paixão ou a um relacionamento vazio de verdadeira intimidade. Mesmo pessoas idosas e doentes crônicas podem desfrutar de uma vida sexual satisfatória.

2. Faça um check-up médico

Para eliminar causas fisiológicas da sua falta de desejo, faça uma visita ao seu médico de família ou ginecologista para tirar qualquer dúvida. Avalie se os efeitos colaterais de medicamentos ou condições médicas podem ser um problema. Discuta se é possível mudar os anticoncepcionais.

3. Concentre-se nas exceções

Em sua busca para descobrir o que a excita, você deve se concentrar nas exceções. Identifique o que funcionou para deixar você excitada no passado. Lembre-se se você estava sentindo-se mais sexy e  pergunte-se o que estava fazendo de diferente. Você estava levando mais tempo nas preliminares? Você estava fazendo sexo em diferentes posições, locais, horários do dia, semana ou mês? Você estava em melhor forma naquela época? Foi seu parceiro? Você estava usando dispositivos sexuais, como um vibrador?

Eu sei que você não pode voltar ao passado, mas tente planejar coisas diferentes. Chame os sogros ou amigos íntimos, faça com que fiquem com seus filhos durante a noite. Planeje uma escapadela de fim de semana. Em outras palavras, embora possa não ser perfeito, você pode reorganizar sua vida para que possa replicar pelo menos parte do que estava funcionando para você antes.

4.Experimente novidades

Os relacionamentos sexuais muitas vezes se tornam entediantes quando você faz a mesma coisa repetidamente. Decida tornar-se aventureiro e tente coisas que você não tenha tentado antes para ver se as acha divertidas. Explore e experimente até saber exatamente o que a excita. Você gosta de massagens nas costas, banhos quentes, lingerie sexy, certos tipos de toques, algumas posições mais do que outras, sexo suave ou selvagem? As possibilidades são infinitas. Vá tentando até acertar.

5. Fale abertamente sobre suas preferências

Quando você começa a descobrir o que gosta e o que não gosta, precisa se comprometer a discutir  abertamente e especificamente com o seu parceiro. Não fique envergonhada. Lembre-se de usar termos orientados para a ação. Por exemplo, não basta dizer ao seu parceiro: “Eu preferiria que ‘fizéssemos amor’ em vez de ‘fazer sexo’ “. Você precisa ser capaz de colocar em termos de ação o que você quer dizer com “fazer amor”. Por exemplo, você pode dizer: “Para mim, parece que estamos fazendo amor quando passamos mais tempo nos beijando e mantendo os olhos abertos” ou “Quando você toca meu cabelo ou toca levemente no meu rosto, ele fica mais macio e isso me faz sentir como se estivéssemos fazendo amor “.Se o processo de falar as coisas parece assustador, consulte um terapeuta sexual certificado.

6. Melhore a sua autoestima

Muitas vezes as pessoas deixam de se interessar por sexo quando deixam de se sentir bem com seus corpos. Uma má imagem corporal muitas vezes faz com que as pessoas se sintam constrangidas e evitem encontros sexuais; ou ficam tão tensas que não se divertem. Se você é uma dessas pessoas, precisa fazer algo para mudar a maneira como se sente em relação ao seu corpo. Você pode mudar a sua imagem externa se isso faz você se sentir melhor, mas lembre-se de que a principal mudança deve vir de dentro de você. Aprenda a amar a si mesma, amar o seu corpo e você verá como as coisas parecerão diferentes.

7. Jogue e explore

Ver o sexo como uma mera obrigação é um grave erro. Dar importância a carícias, propor novas posições, tentar realizar fantasias sexuais, recorrer a brinquedos sexuais e, finalmente, seduzir e surpreender nosso parceiro é essencial para estimular o desejo sexual. Às vezes devemos tentar surpreender o nosso parceiro para deixar para trás a rotina diária e alimentar o desejo sexual.

8.Melhore sua autoestima

Aceite-se como você é. Se não aprendermos a aceitar nosso corpo como ele é, com suas virtudes e defeitos, nunca poderemos desfrutar de uma vida sexual plena. As inseguranças são inimigas do desejo sexual, portanto livre-se delas. Quanto mais confiantes nos sentimos com nós mesmas e nossos corpos, mais desfrutaremos do sexo.

auto

Comunicação é fundamental

Deixei para abordar esse assunto no final porque ele é provavelmente o mais importante de todos. A comunicação com nosso parceiro é essencial para driblar a falta de apetite sexual. Às vezes, a falta de desejo sexual está associada à falta de prazer experimentada por algumas pessoas. E às vezes isso acontece precisamente porque não falamos do que realmente gostamos. É importante discutir essas questões a fim de desfrutar 100% de nossas relações sexuais. Analise o que está acontecendo em seu relacionamento, veja o que você pode mudar e, caso não consiga achar uma solução, procure ajuda médica. O importante é que você fique plenamente satisfeita.

E você, já se inscreveu na Semana da Mulher Bem Resolvida? Milhares de mulheres que me seguem  sabem que eu criei a Semana da Mulher Bem Resolvida, uma semana que nós discutimos todos os assuntos do universo feminino (sensualidade, sexualidade, pompoarismo, relacionamento, autoestima…) para ter um contato direto e passar o melhor do meu conteúdo para vocês. É uma semana incrível, cheia de exercícios e que você vai poder falar comigo e tirar todas as suas dúvidas! Para participar, é só se inscrever no link abaixo. O evento é 100% online e gratuito. Não fique de fora!

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com suas amigas:

0 avaliações, média: 0,00 de 50 avaliações, média: 0,00 de 50 avaliações, média: 0,00 de 50 avaliações, média: 0,00 de 50 avaliações, média: 0,00 de 5 (0 avaliações, média: 0,00 de 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *