Se você gostou desse Blog clique no +1:

Sintomas da menopausa podem ser combatidos com exercícios

A menopausa é um momento marcante na vida de qualquer mulher. Os sintomas da menopausa podem ser percebidos a partir dos 40 anos e a mulher passa por grandes transformações entre os 45 e 55 anos. Mas muitas mulheres desconhecem os sintomas da menopausa e ficam perdidas sobre como passar por esta fase. Vamos conversar sobre isso?

Neste post vamos conversar sobre:

  • O que é menopausa

  • Os sintomas da menopausa

  • Exercícios que minimizam os sintomas da menopausa

Sintomas da menopausa

Se você pudesse elencar os momentos mais marcantes da sua vida, dentre algumas variações estariam a descoberta do amor platônico na infância, sua formatura, casamento, o nascimento dos filhos, os passinhos desequilibrados – mas muito comemorados-,  a estreia na escolinha acompanhada da dor no coração de ter que dar tchau no portão, e o primeiro namorico, que, vamos ser sinceras, desperta um ciúme verdadeiramente patético em nós, mamães.

Passou um filme na sua cabeça sobre esses momentos, certo? Agora, se você parou por aí, e está no processo de construção dos próximos eventos, e que também serão marcantes, saiba que, de uma situação, você não vai escapar. Mais cedo ou mais tarde, a menopausa vai aparecer, mesmo que você não a convide e faça de tudo para que ela se atrase. Algumas coisas na vida são assim: não importa o que seja feito, elas aparecem, invadem a nossa rotina, nos tiram do sério na maior parte das vezes e carregam consigo uma mensagem que muitas de nós acabam não se dando conta – mas que eu sempre gosto de reforçar para que a gente aprenda a ver o lado positivo das coisas -. Elas só acontecem porque nós estamos vivas, e por isso devemos ficar felizes.

Aliás, não somente dela, mas de tudo que invade a nossa vida durante esse momento. Se você já passou ou está vivenciando essa fase agora, conhece bem os sintomas da menopausa, mas se ainda não, prepare-se para descobrir que ondas de calor, suor noturno e arrepios não são apenas sinais de uma boa noite de sexo, mas também resultado do desequilíbrio hormonal pelo qual o nosso corpo passa na menopausa.

Mas afinal, o que é a menopausa?

menoapusa-cátia-damasceno

Colocando os pingos nos “is”, a menopausa é, na verdade, o nome dado à ultima menstruação, que, geralmente, acontece entre os 45 e 55 anos. O período que a sucede, então, é chamado de climatério, e representa a transição entre a fase reprodutiva e a não fértil da mulher. Mas, como todas nós nos referimos a essa fase da vida como sendo a menopausa, é assim que vamos continuar no post de hoje, combinado?

Fisiologicamente, a menopausa é resultado da falência dos ovários. Para entender o porquê isso acontece, é preciso voltar lá atrás. Toda mulher, quando nasce, já possuí os folículos dos ovários, que vão dar origem aos óvulos desde à primeira menstruação, até a última. Eles são produzidos ao logo da vida, e quando morrem, caem também as concentrações dos hormônios femininos estrogênio e progesterona. E é justamente por conta desse desequilíbrio hormonal que acontecem os principais sintomas da menopausa.

Os sintomas da menopausa

Sabe aquela música que diz: “na vida a gente tem que entender que um nasce pra sofrer enquanto o outro ri”? Eu costumo brincar que ela pode servir de trilha sonora quando o assunto é a menopausa. Isso porque, algumas de nós, por um presente da natureza, não apresentam os principais sintomas da menopausa, e acabam passando por esse período com mais tranquilidade do que a grande maioria das mulheres.

Quem não tem essa fase assintomática sofre a variação de intensidade dos sintomas da menopausa de acordo com a diminuição progressiva dos hormônios sexuais, e dentre os principais e os que mais são relatados pelas mulheres estão:

  • Ondas de calor pelo corpo

E quando eu digo onda, é porque é exatamente essa a sensação que sentimos durante esse período. Começa com um calorão no rosto e pode percorrer o corpo pelo pescoço e tronco. Esse calor é completamente diferente daquele que sentimos durante um dia de altas temperaturas. Isso porque ele tem origem interna, e costuma causar rubor facial, palpitações cardíacas e suor, muito suor.  O responsável por essa onda é a queda do estrogênio, que provoca um desequilíbrio na temperatura do corpo. A frequência dos episódios pode variar, mas com a grande maioria de nós a sensação acontece de 1 a 2 vezes ao dia.

onde-de-calor-menopausa
  • Aumento de peso

Outro ponto que é diretamente afetado pela queda dos níveis de estrogênio é o nosso metabolismo. Com a menopausa, o gasto calórico basal diminui, o que gera duas consequências diretas: a mudança na forma como nosso corpo armazena a gordura e o aumento da probabilidade de ganho de peso com menos calorias.

E o resultado a gente sente no abdômen e na cintura: é exatamente nesses pontos que acontece a deposição de gordura durante a menopausa.

  • Alterações de humor

Sabe a TPM, que é capaz de fazer com que a gente fique irritada além do normal e transforma qualquer mulher em uma manteiga derretida? As oscilações de humor também são sintomas da menopausa, e durante um único dia a gente pode ir da mais completa sensação de plenitude à tristeza profunda, claro, passando por níveis de irritabilidade altíssimos, mesmo que não haja motivos reais para isso. Os hormônios têm poder, e, nesse caso, a falta do estrogênio é o responsável pela montanha russa de emoções.

alteracao-de-humor-catia-damasceno
  • Alterações na libido e secura vaginal

Chegamos ao ponto que é crucial para todas nós mulheres. Como se não bastassem todos os outros sintomas e consequências da queda hormonal no nosso organismo, ainda temos que lidar com questões fisiológicas, ou seja, que não são de nossa escolha, mas que alteram significativamente a qualidade da nossa vida sexual, como as alterações na libido e a dificuldade de produzir lubrificação, causando a secura vaginal.

Se você está se perguntando como fazer para minimizar essas alterações, segura a curiosidade mais um pouco, porque nós já vamos conversar sobre isso. Antes, é preciso entender o porquê esses processos são desencadeados pelo nosso organismo.

Lembra do estrogênio, o super, mega, ultra poderoso hormônio? Pois é ele, também, que influencia nos tecidos que revestem a vagina. Ou seja, uma vez que ele não esteja mais presente no nosso organismo nos níveis normais, provoca a perda de espessura da vagina. Isso significa que toda a estrutura da nossa região íntima passa por mudanças, como o estreitamento dos tecidos, e, devido ao menor fluxo sanguíneo, o ressecamento vaginal. E aí, minha amiga, os resultados podem ser desconfortos e até mesmo dor durante o sexo, e ninguém quer passar por isso, não é mesmo?

Então, chegou a hora de eu matar a sua curiosidade e dar dicas sobre como evitar que esse processo natural afete a sua vida sexual, afinal, a chegada da menopausa pode representar a começo do nosso período não fértil, mas em hipótese alguma ela deve ser recebida como um aviso prévio de interdição do nosso parquinho de diversões, certo?

Exercícios que minimizam os sintomas da menopausa

exercicio-menopausa-catia-damasceno

É claro que a reposição hormonal alivia os sintomas da menopausa, mas além de muitas de nós não podermos passar por esse processo, existem outras formas de minimizar esses efeitos, como os exercícios físicos.

A hidroginástica, por exemplo, é uma excelente atividade que pode diminuir os riscos associados a doenças cardíacas, mas que, por não ter impacto, deve ser combinada com outras modalidades para prevenir a osteoporose.

Os exercícios aeróbicos, como as caminhadas e corridas, também cumprem o seu papel na minimização dos efeitos da queda hormonal, além de afastar as chances de sobrepeso. Quando praticados a partir de 30 minutos ao dia, os exercícios têm a capacidade de amenizar as ondas de calor características desse período, além de auxiliar na modulação do humor, que acreditem em mim, se não controlado,  pode ser um dos piores companheiros da menopausa.

Ginástica íntima ajuda a manter a qualidade da sua vida sexual

vida-sexual-menopausa

Agora, além das roupas de ginástica, academia e parques a céu aberto, que tal se você der uma atenção especial a ela, sua amiga de tantos momentos de prazer, mas que, durante a menopausa, precisa de uma ajudinha para se manter mais ativa do que nunca?

Se você nunca ouviu falar na ginástica íntima, ou pompoarismo, pense comigo: quando praticamos exercícios, procuramos, dentre outras razões, trabalhar nossa musculatura, certo?

Se todo o nosso corpo pode ser beneficiado pela prática de exercícios, não é a nossa vagina que vai ficar de fora. Se não trabalhados, os tecidos da vagina ficam flácidos e você perde a capacidade de controle sobre e eles – tudo que não queremos, principalmente na menopausa. A ginástica íntima, além de devolver esse poder e de aumentar a circulação sanguínea, auxiliando na lubrificação, nos ajuda a atingir o orgasmo e fazer com que os nossos parceiros fiquem com ainda mais tesão com os movimentos de contração da vagina, que aplicam pressão no pênis.

Ficou animada e quer saber mais sobre a ginástica íntima?  Comece hoje mesmo a praticar os exercícios e sinta os benefícios do pompoarismo com a melhora da qualidade da sua vida sexual.

O que achou das dicas de hoje? Está passando por esta fase? Vamos conversar sobre isso nos comentários. Super beijo!

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com suas amigas:

  • Beatriz

    Boa noite. Como sempre você superando nossas expectativas de curiosidades..sim,já estou entrando nessa face. Já tenho feito bastante os exercícios físicos. .pois adoro correr e fazer condicionamento físico. A ginástica íntima veio pra complementar. Fico aliviada de saber que posso passar por essa face mais tranquila e ao mesmo tempo sem perder o prazer do sexo. Obrigada. .bjos